Juventus nega ligação de dirigentes à máfia calabresa

Clube de Turim vai defender-se das acusações em tribunal

A Juventus negou esta quinta feira qualquer ligação dos seus dirigentes à Ndrangheta, a máfia calabresa, refutando notícias de media italianos e prometendo recurso à justiça.

"À luz de certos artigos publicados nos últimos dias, a Juventus e o seu presidente Andrea Agnelli confiaram a juristas a defesa da sua honra e dignidade", refere o clube, em comunicado.

O diário 'Il Fatto' afirmou esta quinta-feira que o presidente da Juventus, Andrea Agnelli, se encontrou com o líder 'ultra' Rocco Dominello, preso pela sua ligação a Ndrangheta.

De acordo com o referido jornal, a máfia calabresa tem grupos de ultras infiltrados na Juventus com o propósito de revender bilhetes fornecidos pelo clube com grandes margens de lucro.

A 'vecchia signora' revela que "o promotor de Turim concluiu recentemente um levantamento de algumas famílias consideradas como pertencentes à Ndrangheta que tentaram se infiltrar em algumas atividades do clube, mas nenhum funcionário ou membro da Juventus foi objeto de qualquer investigação judicial".

A Juventus é pentacampeã de Itália e lidera o campeonato com um ponto de vantagem para a Roma e menos um jogo do que a equipa romana.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Internacional

SAD guarda Ristovski

Pandemia não altera planos: Sporting ativa opção e alarga contrato do macedónio por 2 anos

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.