Escócia: Old Firm volta e agora para ficar

Celtic e Rangers defrontam-se

A Escócia vai parar este domingo, por volta da hora do almoço, durante pouco mais de 90 minutos, para assistir ao duelo entre o Rangers e o Celtic, que se realiza em Hampden Park, sendo referente às meias-finais da Taça. É o regresso em força do célebre Old Firm, que opõe protestantes a católicos desde 28 de maio de 1888, mas que nos últimos 3 anos e 11 meses se disputou apenas uma vez (na Taça da Liga), devido à despromoção do Rangers para o 4º escalão, por ter entrado em bancarrota. De volta à Premiership na próxima época, o clube de Ibrox vai tornar a competir regularmente com o arquirrival, sendo este jogo uma espécie de aperitivo.

Uma das pessoas mais habilitadas em Portugal para falar deste dérbi é Jorge Cadete, que representou o Celtic entre 30 de março de 1996 e 31 de maio de 1997, participando em quatro Old Firm. "É um duelo com muita tradição. Marca o povo escocês e o futebol naquele país. Só se fala dele nos dias que o antecedem, sendo vivido de forma intensa mas correta e leal. Está muito marcado pela questão religiosa, o que o torna único a nível mundial. Devido ao atual desnível entre as duas equipas, fruto da descida do Rangers, já não deve ter a mesma intensidade. Mas o jogo de domingo é ainda mais especial por isso, estando a gerar muita expectativa. Fará parar a Escócia!", diz a Record o ex-avançado, de 47 anos, sustentando que o facto de o desafio se realizar no Estádio Nacional não irá retirar entusiasmo aos adeptos.

O embate entre o já campeão do Championship (2ª Divisão) e o mais do que provável vencedor da Premiership (1º escalão) tende a pender para o lado do segundo. "O Celtic é claramente favorito, embora no futebol britânico não se notem muito as diferenças entre as equipas mais e menos poderosas. Vou obviamente torcer pelo Celtic. Julgo que irá ganhar por 2-1", conclui Jorge Cadete, admitindo que a ascensão do Rangers será benéfica para o futebol.

Cadete ainda 'chora' o golo anulado

O dia 2 de janeiro de 1997 não mais sairá da memória de Jorge Cadete, que viu um golo anulado na derrota, por 3-1, sofrida no Ibrox Stadium, a contar para o campeonato. O Rangers ganhava, por 2-1, quando o português ‘matou’ a bola no peito e disparou para o fundo da baliza, tendo o árbitro anulado indevidamente o golo devido a um fora-de-jogo… inexistente.

"Teria sido o 2-2, aos 86 minutos. As imagens de TV viriam a provar que o golo fora legal. Se tivéssemos empatado, talvez o Rangers não igualasse, no final dessa época, o recorde do Celtic de nove campeonatos conquistados consecutivamente.

Foi uma pena…", recorda o antigo avançado, que está a tirar um curso de treinador em Rio Maior. Além do referido dérbi, Cadete participou em mais três e só venceu uma vez, a contar para a Taça da Escócia (2-0). De resto, para o campeonato, o Celtic perdeu os quatro dérbis em 1996/97, a única época completa do português em Glasgow – curiosamente, aquela em que teve mais sucesso como goleador (fez 32 golos em 39 jogos essa temporada)

Por Nuno Pombo
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.