Os últimos minutos da vida de Maradona: da caminhada habitual ao choque de quem dele cuidava

Jornal argentino 'Olé' revela os detalhes

• Foto: Reuters

"O que era apenas mais uma manhã transformou-se na manhã mais singular da história do futebol argentino". É desta forma que o 'Olé' caracteriza a morte de Diego Armando Maradona, ao mesmo tempo que revela os últimos minutos da vida de um dos maiores craques da história do futebol.

Segundo o jornal argentino, o dia começou normalmente e o 'D10s' fez a caminhada habitual, para pouco depois se sentar. Como ocorria normalmente depois da operação a um hematoma na cabeça, Maradona era acompanhado em casa por uma equipa diversa, composta por um psicólogo, uma psiquiatra e ainda uma enfermeira, que prestavam os cuidados necessários.

Porém, era cerca de meio dia, hora local em Tigre (cidade a norte de Buenos Aires), quando repararam que algo não estava bem. Era o momento de Maradona receber a sua medicação mas este já não se levantou, nem sequer respondia. De imediato, quatro ambulâncias dirigiram-se até à habitação de Maradona para tentar a reanimação. Apesar da rapidez da resposta, já não foi possível fazer nada e o Pelusa falecia, aos 60 anos...

O procurador-geral de San Isidro adiantou que a hora da morte foi mesmo às 12h00 e que a autópsia será feita ainda hoje, sendo que não existiam quaisquer sinais de violência.

Lágrimas e velas em Nápoles: a cidade onde Maradona é Rei está destroçada

Por Record
17
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.