Português Nilton Terroso vence Taça do Zimbabué e coloca "cereja no bolo"

Um golo a cinco minutos do intervalo foi suficiente para derrotar os Herentals

• Foto: Bulawayo Chiefs FC
O treinador Nilton Terroso conquistou no domingo a Taça do Zimbabué de futebol, primeiro título dos Bulawayo Chiefs, que foi a "cereja no topo do bolo" da época de estreia no clube, disse esta segunda-feira o português à agência Lusa.

Um golo a cinco minutos do intervalo foi suficiente para derrotar os Herentals, por 1-0, e oferecer ao clube de Bulawayo o seu primeiro troféu, no ano do 10.º aniversário. "O objetivo principal era poder entregar o primeiro título do historial do clube e conseguimos fazê-lo. Foi a cereja no topo do bolo, no 10.º aniversário do clube e no final da terceira época na primeira divisão", comentou o antigo treinador do Atlético e do Olhanense.

A conquista, de resto, começou a ganhar forma quando os Bulawayo Chiefs eliminaram os Highlanders, orientados por Baltemar Brito, antigo treinador adjunto de José Mourinho, no dérbi de Bulawayo.

"Conseguimos eliminar os Highlanders, que são a maior equipa da cidade e uma das maiores do país. Foi a partir desse momento que começámos a acreditar que podíamos alcançar este objetivo", revelou Terroso.

A conquista, por outro lado, constituiu também "uma base para alcançar algum sucesso nos próximos anos", mas o treinador desconhece se vai continuar no Zimbabué. "Não está confirmado. Tenho uma proposta, o clube quer que continue, mas felizmente o telefone tem tocado e estou a avaliar com a minha família qual será o melhor passo a dar no futuro. Mas continuar é uma possibilidade", admitiu Terroso.

Há um ano, em declarações à agência Lusa, Nilton Terroso assumiu ter encontrado no Zimbabué um projeto estável nos Bulawayo Chiefs, um clube que procurava dar os passos certos para tornar-se "numa referência de profissionalismo e organização" no país.

Volvido um ano, o técnico considera que a época "correu bem", uma vez que "foram alcançados os objetivos delineados", apesar de ter "facilitado um bocadinho no final". "Faz parte do projeto. A partir do momento em que alcançámos a melhor pontuação de sempre do clube no campeonato, decidimos colocar a jogar alguns jogadores mais jovens. Se tivéssemos continuado a usar aqueles que foram mais fundamentais na caminhada, teríamos ficado em quatro ou quinto lugar", asseverou o técnico português.

Os Bulawayo Chiefs, orientados pelo antigo adjunto de Ole Gunnar Solsjkaer no Cardiff City, terminaram a I Liga do Zimbabué em sétimo lugar, com 13 vitórias e 11 empates em 34 partidas, a 26 pontos do campeão, Football Club Platinum.

Por Lusa
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas