Quatro seleções africanas afastadas de torneio Sub-17 por terem jogadores maiores de idade

Botsuana, Ilhas Comores, Suazilândia e Zimbabué estão fora da competição

• Foto: Cosafa.com

As seleções masculinas de Botsuana, Ilhas Comores, Suazilândia e Zimbabué foram desclassificadas do Campeonato Sub-17 da COSAFA (associação de federações de futebol de países do sul da África) por terem nos respetivos plantéis jogadores com idade superior ao permitido no regulamento.

Face a esta situação, o torneio, que se realiza na África do Sul e serve de qualificação zonal para a CAN (Taça das Nações Africanas) de Sub-17 em 2021, vai apenas arrancar no domingo. Quando chegaram a solo sul-africano, todos os jogadores foram sujeitos a um exame clínico para averiguar a idade e, nestas quatro seleções, houve pelo menos um atleta a ser 'apanhado'.

Trata-se de uma ressonância magnética utilizada ??em todo o mundo para determinar se os jogadores são elegíveis para provas de Sub-17. Os médicos procuram fusões ósseas nos pulsos dos atletas (algo altamente improvável de ocorrer antes dos 17 anos) e o exame tem uma taxa de precisão superior a 99 por cento. Caso exista uma fusão visível no osso, os médicos consideram de imediato que o jogador tem mais de 17 anos e fica impedido de competir.

Esta não é a primeira vez que tal acontece com seleções africanas, nomeadamente no escalão Sub-17. No ano passado, a Guiné foi desclassificada do Mundial por ter utilizado dois jogadores com idade superior na fase continental, onde terminou em terceiro. O castigo também deixa a Guiné fora das duas próximas duas CAN de Sub-17 e, por consequência, do próximo Mundial do escalão.

Por André Antunes Pereira
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.