River Plate emite novo comunicado: jogar no Bernabéu nem pensar

Clube mantém postura e diz que não cederá

• Foto: Reuters

O River Plate emitiu um comunicado este sábado sobre a 2.ª mão da final da Taça Libertadores com o Boca Juniors, recusando-se a jogar no Santiago Bernabéu. 

O River Plate "entende que esta decisão prejudica quem adquiriu os bilhetes e afeta a igualdade de condições".

O River acrescenta que "a responsabilidade pelas falhas de segurança de dia 24, ocorridas fora do perímetro do evento foram - além de pública e notoriamente - assumidas abertamente pelas mais altas autoridades do Estado". Com isto, diz que fica claro que o clube não teve responsabilidade nos incidentes.

O clube argentino lamenta que as entidades competentes não pensem nos adeptos. "Mais de 66 mil aguardaram pacientemente durante mais de oito horas no sábado e voltaram a apresentar-se pela segunda vez no domingo. A estes estão agora a negar-lhes a possibilidade de ver o jogo", frisa.

Na quinta-feira, a Confederação sul-americana de futebol (Conmebol) anunciou que o jogo decisivo da Taça dos Libertadores vai disputar-se no Estádio Santiago Bernabéu, em 9 de dezembro, depois do adiamento em 24 de novembro, devido a um ataque ao autocarro do Boca Juniors, quando a equipa chegava ao estádio do River.

Entretanto, o presidente da FIFA afirmou que, com a recusa do River Plate, cabe à Conmebol tomar uma decisão, mas lembrou que o segundo jogo da final terá sempre que ser jogado.

"A bola não pode parar. Temos todos que arranjar condições para que se possa jogar", referiu Gianni Infantino, em Buenos Aires.

Depois do ataque ao autocarro à chegada ao estádio Monumental, em Buenos Aires, de que resultaram ferimentos em vários jogadores, o encontro foi adiado para 25 de novembro, mas o Boca Juniors considerou que a sua equipa não tinha condições para jogar no dia seguinte, e os dois clubes acordaram que o jogo fosse reagendado para outra data.

Vários jogadores do Boca ficaram feridos, por serem sido atingidos por vidros ou devido ao uso de gás lacrimogéneo por parte da polícia, com o capitão Pablo Pérez a ter de ser assistido no hospital, antes de regressar ao estádio, com uma pala a proteger o olho esquerdo.

No encontro da primeira mão, disputado a 10 de novembro, no estádio La Bombonera, casa do Boca Juniors, registou-se em empate 2-2. Esse jogo também se realizou um dia depois do previsto, devido às chuvadas que inviabilizaram a utilização do relvado.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.