«Tudo o que eu queria era droga»: ex-jogador recorda passado e explica queda de Ronaldinho

Walter Casagrande não poupa críticas a Roberto Assis e fala em 'burrice'

• Foto: Reuters

Ronaldinho faz este sábado 40 anos. Está preso no Paraguai assim como o seu irmão, Roberto Assis. Craque nos relvados, o brasileiro caiu em desgraça. Walter Casagrande, antigo camisola 10 da seleção brasileira, não tem dúvidas de quem é o principal responsável por esta situação. 

"Ronaldinho foi um dos maiores jogadores da história do futebol. Em campo, fazia sempre as escolhas certas, mas quando parou, começou a fazer as erradas. Deixou a vida inteira na mão do Assis. Não dá para entender essa escolha. Chega a ser burrice. É muito difícil de aceitar", disse ao GloboEsporte.com.

Ronaldinho caiu em desgraça: saiba o que aconteceu aos outros craques da sua geração
Beckham – É uma das personagens ligadas ao desporto que mais singrou fora das quatro linhas. Conhecido por estar ligado a várias marcas, como a Adidas, Pepsi ou até a Walt Disney Company. Lançou alguns jogos multiplataformas como o ‘Go! Go! Beckham! Adventure on Soccer Island ou até o ‘David Beckham Soccer’, tendo ainda sido figura da edição do FIFA 98. Em 2013, o ex-internacional inglês foi ainda nomeado pelas autoridades chinesas o embaixador do futebol chinês. Para além de lhe serem conhecidas as qualidades enquanto jogador de futebol, David Beckham dedica-se, desde 2005, à filantropia, tendo participado em várias ações humanitárias promovidas pela UNICEF. Mas tudo isto não para por aqui. David Beckham destaca-se ainda no mundo da moda e em Hollywood – participou no filme ‘Bend It Like Beckham’, na trilogia ‘Goal’, no ‘The Man from U.N.C.L.E’ e ainda no Rei Arthur: A lenda da espada’.
Frank Lampard – O ex-internacional inglês, em 106 ocasiões, terminou a carreira de futebolista, em 2015/16, no New York City e dedicou-se à carreira de treinador. Em 2018/19 teve a sua primeira experiência, ao serviço do Derby County, tendo terminado na 6.ª posição. Esta temporada, foi contratado pelo Chelsea, clube que ainda orienta.
Thierry Henry – Mais um antigo jogador que enveredou na carreira de treinador de futebol. Depois de virar uma figura no Arsenal, Thierry Henry terminou a carreira profissional em 2014, ao serviço dos New York Red Bulls. Em 2016, foi escolhido por Roberto Martínez para ser o seu treinador-adjunto na seleção da Bélgica, cargo que desempenhou até 2018, altura em que assumiu, pela primeira vez, o comando de uma equipa, sucedendo Leonardo Jardim no Monaco. Atualmente, é treinador do Montreal Impact, da MLS.
Iker Casillas – O único caso presente na lista que ainda não cessou, por completo, a sua carreira futebolística. Contudo, o ainda guarda-redes do FC Porto é candidato à presidência da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF), sendo a oposição a Luís Rubiales, atual presidente do organismo.
Steven Gerrard – Em tempos figura do Liverpool, atualmente figura do Rangers. Depois de terminar a carreira de futebolista em 2015/16, ao serviço dos LA Galaxy, o ex-internacional inglês dedicou-se ao papel de treinador, assumindo o comando dos escoceses do Rangers, onde soma 107 jogos e um total de 64 vitórias. Esta temporada eliminou o Sp. Braga nos ’16 avos’ da Liga Europa.
Zidane – Figura incontornável do futebol francês e mundial, concluiu a carreira como profissional de futebol em 2006, aos 34 anos. Em 2013/14 foi treinador-adjunto de Carlo Ancelotti no Real Madrid, tendo depois orientado a equipa secundária dos merengues. Assumiu o comando técnico do Real Madrid em 2016, onde levou a formação madridista à conquista da Liga dos Campeões, tornando-se, assim, no único a levantar a ‘Champions’ enquanto jogador (2002), adjunto (2014) e treinador principal.
Ronaldo – Depois de uma carreira brilhante, tendo passado por Barcelona, Inter, Real Madrid e até Milan, Ronaldo Nazário dedicou-se ao ramo empresarial, tendo fundado uma empresa responsável pelo agenciamento de jogadores, a ‘9ine’. Atualmente, é presidente do Valladolid, clube que milita a primeira divisão espanhola de futebol.
Rivaldo – Terminou a carreira profissional já em decrescendo, ao serviço do modesto clube brasileiro Mogi Mirim, emblema onde exerceu ainda funções de presidente e de conselheiro da administração. Atualmente, é treinador dos marroquinos do SC Chabab Mohammedia.
Luís Figo – Um dos jogadores portugueses mais notáveis. Luís Figo não esperou pelo final da carreira para começar a pensar no seu futuro fora das quatro linhas. Em 2003, quanto ainda representava o Real Madrid, deu início à Fundação Luís Figo. Atualmente, o ex-internacional português ocupa o cargo de Presidente do Conselho das Quinas de Ouro, organismo responsável por premiar os atletas portugueses com melhor desempenho no futebol, futsal e futebol de praia.
Rui Costa – Um dos nomes mais reconhecidos mundialmente do futebol português, Rui Costa terminou a carreira de futebolista em 2008, ao serviço do Benfica, clube onde atualmente desempenha a função de administrador da SAD.
Fabio Cannavaro – Bola de Ouro em 2006, o ex-internacional italiano, depois de terminar a sua carreira profissional de futebolista, dedicou-se ao cargo de treinador. Atualmente, segue no comando dos chineses do Guangzhou Evergrande e da seleção chinesa.
Júlio César – Antiga figura do Inter, que também representou o Benfica entre 2014 e 2017, é atualmente comentador na multiplataforma DAZN. É também patrocinado pela Asics.
Adriano – Com uma carreira futebolista atribulada por alguns problemas fora das quatro linhas, Adriano desempenha, atualmente, o cargo de diretor de vendas da Adidas Brasil e... mantém o 'fanatismo' pelo Flamengo de Jorge Jesus.
Eric Abidal – Venceu o cancro por duas vezes e nunca renunciou o futebol. Acabou a carreira enquanto profissional em 2014, após uma curta passagem pelos gregos do Olympiacos. Em 2018, regressou ao Barcelona, clube que representou entre 2007 e 2013, para cumprir funções enquanto Diretor para o futebol dos catalães.
Didier Drogba – O melhor marcador de sempre da seleção da Costa do Marfim disse adeus aos relvados em 2018, quando já tinha 40 anos. Em dezembro desse ano, tornou-se vice-presidente da organização internacional ‘Peace and Sport’, baseada no principado monegasco. Em 2007, foi nomeado um dos embaixadores de Boa Vontade da UNDP (United Nations Development Programme). Em 2009, em conjunto com a Pepsi  e com a Fundação Didier Drogba, doou cerca de três milhões de euros para a construção de uma unidade hospitalar na sua cidade natal, em Abidjan, tendo sido ainda, no mesmo ano, uma das figuras na Luta contra a Sida.
Beckham – É uma das personagens ligadas ao desporto que mais singrou fora das quatro linhas. Conhecido por estar ligado a várias marcas, como a Adidas, Pepsi ou até a Walt Disney Company. Lançou alguns jogos multiplataformas como o ‘Go! Go! Beckham! Adventure on Soccer Island ou até o ‘David Beckham Soccer’, tendo ainda sido figura da edição do FIFA 98. Em 2013, o ex-internacional inglês foi ainda nomeado pelas autoridades chinesas o embaixador do futebol chinês. Para além de lhe serem conhecidas as qualidades enquanto jogador de futebol, David Beckham dedica-se, desde 2005, à filantropia, tendo participado em várias ações humanitárias promovidas pela UNICEF. Mas tudo isto não para por aqui. David Beckham destaca-se ainda no mundo da moda e em Hollywood – participou no filme ‘Bend It Like Beckham’, na trilogia ‘Goal’, no ‘The Man from U.N.C.L.E’ e ainda no Rei Arthur: A lenda da espada’.
Frank Lampard – O ex-internacional inglês, em 106 ocasiões, terminou a carreira de futebolista, em 2015/16, no New York City e dedicou-se à carreira de treinador. Em 2018/19 teve a sua primeira experiência, ao serviço do Derby County, tendo terminado na 6.ª posição. Esta temporada, foi contratado pelo Chelsea, clube que ainda orienta.
Thierry Henry – Mais um antigo jogador que enveredou na carreira de treinador de futebol. Depois de virar uma figura no Arsenal, Thierry Henry terminou a carreira profissional em 2014, ao serviço dos New York Red Bulls. Em 2016, foi escolhido por Roberto Martínez para ser o seu treinador-adjunto na seleção da Bélgica, cargo que desempenhou até 2018, altura em que assumiu, pela primeira vez, o comando de uma equipa, sucedendo Leonardo Jardim no Monaco. Atualmente, é treinador do Montreal Impact, da MLS.
Iker Casillas – O único caso presente na lista que ainda não cessou, por completo, a sua carreira futebolística. Contudo, o ainda guarda-redes do FC Porto é candidato à presidência da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF), sendo a oposição a Luís Rubiales, atual presidente do organismo.
Steven Gerrard – Em tempos figura do Liverpool, atualmente figura do Rangers. Depois de terminar a carreira de futebolista em 2015/16, ao serviço dos LA Galaxy, o ex-internacional inglês dedicou-se ao papel de treinador, assumindo o comando dos escoceses do Rangers, onde soma 107 jogos e um total de 64 vitórias. Esta temporada eliminou o Sp. Braga nos ’16 avos’ da Liga Europa.
Zidane – Figura incontornável do futebol francês e mundial, concluiu a carreira como profissional de futebol em 2006, aos 34 anos. Em 2013/14 foi treinador-adjunto de Carlo Ancelotti no Real Madrid, tendo depois orientado a equipa secundária dos merengues. Assumiu o comando técnico do Real Madrid em 2016, onde levou a formação madridista à conquista da Liga dos Campeões, tornando-se, assim, no único a levantar a ‘Champions’ enquanto jogador (2002), adjunto (2014) e treinador principal.
Ronaldo – Depois de uma carreira brilhante, tendo passado por Barcelona, Inter, Real Madrid e até Milan, Ronaldo Nazário dedicou-se ao ramo empresarial, tendo fundado uma empresa responsável pelo agenciamento de jogadores, a ‘9ine’. Atualmente, é presidente do Valladolid, clube que milita a primeira divisão espanhola de futebol.
Rivaldo – Terminou a carreira profissional já em decrescendo, ao serviço do modesto clube brasileiro Mogi Mirim, emblema onde exerceu ainda funções de presidente e de conselheiro da administração. Atualmente, é treinador dos marroquinos do SC Chabab Mohammedia.
Luís Figo – Um dos jogadores portugueses mais notáveis. Luís Figo não esperou pelo final da carreira para começar a pensar no seu futuro fora das quatro linhas. Em 2003, quanto ainda representava o Real Madrid, deu início à Fundação Luís Figo. Atualmente, o ex-internacional português ocupa o cargo de Presidente do Conselho das Quinas de Ouro, organismo responsável por premiar os atletas portugueses com melhor desempenho no futebol, futsal e futebol de praia.
Rui Costa – Um dos nomes mais reconhecidos mundialmente do futebol português, Rui Costa terminou a carreira de futebolista em 2008, ao serviço do Benfica, clube onde atualmente desempenha a função de administrador da SAD.
Fabio Cannavaro – Bola de Ouro em 2006, o ex-internacional italiano, depois de terminar a sua carreira profissional de futebolista, dedicou-se ao cargo de treinador. Atualmente, segue no comando dos chineses do Guangzhou Evergrande e da seleção chinesa.
Júlio César – Antiga figura do Inter, que também representou o Benfica entre 2014 e 2017, é atualmente comentador na multiplataforma DAZN. É também patrocinado pela Asics.
Adriano – Com uma carreira futebolista atribulada por alguns problemas fora das quatro linhas, Adriano desempenha, atualmente, o cargo de diretor de vendas da Adidas Brasil e... mantém o 'fanatismo' pelo Flamengo de Jorge Jesus.
Eric Abidal – Venceu o cancro por duas vezes e nunca renunciou o futebol. Acabou a carreira enquanto profissional em 2014, após uma curta passagem pelos gregos do Olympiacos. Em 2018, regressou ao Barcelona, clube que representou entre 2007 e 2013, para cumprir funções enquanto Diretor para o futebol dos catalães.
Didier Drogba – O melhor marcador de sempre da seleção da Costa do Marfim disse adeus aos relvados em 2018, quando já tinha 40 anos. Em dezembro desse ano, tornou-se vice-presidente da organização internacional ‘Peace and Sport’, baseada no principado monegasco. Em 2007, foi nomeado um dos embaixadores de Boa Vontade da UNDP (United Nations Development Programme). Em 2009, em conjunto com a Pepsi  e com a Fundação Didier Drogba, doou cerca de três milhões de euros para a construção de uma unidade hospitalar na sua cidade natal, em Abidjan, tendo sido ainda, no mesmo ano, uma das figuras na Luta contra a Sida.
Beckham – É uma das personagens ligadas ao desporto que mais singrou fora das quatro linhas. Conhecido por estar ligado a várias marcas, como a Adidas, Pepsi ou até a Walt Disney Company. Lançou alguns jogos multiplataformas como o ‘Go! Go! Beckham! Adventure on Soccer Island ou até o ‘David Beckham Soccer’, tendo ainda sido figura da edição do FIFA 98. Em 2013, o ex-internacional inglês foi ainda nomeado pelas autoridades chinesas o embaixador do futebol chinês. Para além de lhe serem conhecidas as qualidades enquanto jogador de futebol, David Beckham dedica-se, desde 2005, à filantropia, tendo participado em várias ações humanitárias promovidas pela UNICEF. Mas tudo isto não para por aqui. David Beckham destaca-se ainda no mundo da moda e em Hollywood – participou no filme ‘Bend It Like Beckham’, na trilogia ‘Goal’, no ‘The Man from U.N.C.L.E’ e ainda no Rei Arthur: A lenda da espada’.
Frank Lampard – O ex-internacional inglês, em 106 ocasiões, terminou a carreira de futebolista, em 2015/16, no New York City e dedicou-se à carreira de treinador. Em 2018/19 teve a sua primeira experiência, ao serviço do Derby County, tendo terminado na 6.ª posição. Esta temporada, foi contratado pelo Chelsea, clube que ainda orienta.
Thierry Henry – Mais um antigo jogador que enveredou na carreira de treinador de futebol. Depois de virar uma figura no Arsenal, Thierry Henry terminou a carreira profissional em 2014, ao serviço dos New York Red Bulls. Em 2016, foi escolhido por Roberto Martínez para ser o seu treinador-adjunto na seleção da Bélgica, cargo que desempenhou até 2018, altura em que assumiu, pela primeira vez, o comando de uma equipa, sucedendo Leonardo Jardim no Monaco. Atualmente, é treinador do Montreal Impact, da MLS.
Iker Casillas – O único caso presente na lista que ainda não cessou, por completo, a sua carreira futebolística. Contudo, o ainda guarda-redes do FC Porto é candidato à presidência da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF), sendo a oposição a Luís Rubiales, atual presidente do organismo.
Steven Gerrard – Em tempos figura do Liverpool, atualmente figura do Rangers. Depois de terminar a carreira de futebolista em 2015/16, ao serviço dos LA Galaxy, o ex-internacional inglês dedicou-se ao papel de treinador, assumindo o comando dos escoceses do Rangers, onde soma 107 jogos e um total de 64 vitórias. Esta temporada eliminou o Sp. Braga nos ’16 avos’ da Liga Europa.
Zidane – Figura incontornável do futebol francês e mundial, concluiu a carreira como profissional de futebol em 2006, aos 34 anos. Em 2013/14 foi treinador-adjunto de Carlo Ancelotti no Real Madrid, tendo depois orientado a equipa secundária dos merengues. Assumiu o comando técnico do Real Madrid em 2016, onde levou a formação madridista à conquista da Liga dos Campeões, tornando-se, assim, no único a levantar a ‘Champions’ enquanto jogador (2002), adjunto (2014) e treinador principal.
Ronaldo – Depois de uma carreira brilhante, tendo passado por Barcelona, Inter, Real Madrid e até Milan, Ronaldo Nazário dedicou-se ao ramo empresarial, tendo fundado uma empresa responsável pelo agenciamento de jogadores, a ‘9ine’. Atualmente, é presidente do Valladolid, clube que milita a primeira divisão espanhola de futebol.
Rivaldo – Terminou a carreira profissional já em decrescendo, ao serviço do modesto clube brasileiro Mogi Mirim, emblema onde exerceu ainda funções de presidente e de conselheiro da administração. Atualmente, é treinador dos marroquinos do SC Chabab Mohammedia.
Luís Figo – Um dos jogadores portugueses mais notáveis. Luís Figo não esperou pelo final da carreira para começar a pensar no seu futuro fora das quatro linhas. Em 2003, quanto ainda representava o Real Madrid, deu início à Fundação Luís Figo. Atualmente, o ex-internacional português ocupa o cargo de Presidente do Conselho das Quinas de Ouro, organismo responsável por premiar os atletas portugueses com melhor desempenho no futebol, futsal e futebol de praia.
Rui Costa – Um dos nomes mais reconhecidos mundialmente do futebol português, Rui Costa terminou a carreira de futebolista em 2008, ao serviço do Benfica, clube onde atualmente desempenha a função de administrador da SAD.
Fabio Cannavaro – Bola de Ouro em 2006, o ex-internacional italiano, depois de terminar a sua carreira profissional de futebolista, dedicou-se ao cargo de treinador. Atualmente, segue no comando dos chineses do Guangzhou Evergrande e da seleção chinesa.
Júlio César – Antiga figura do Inter, que também representou o Benfica entre 2014 e 2017, é atualmente comentador na multiplataforma DAZN. É também patrocinado pela Asics.
Adriano – Com uma carreira futebolista atribulada por alguns problemas fora das quatro linhas, Adriano desempenha, atualmente, o cargo de diretor de vendas da Adidas Brasil e... mantém o 'fanatismo' pelo Flamengo de Jorge Jesus.
Eric Abidal – Venceu o cancro por duas vezes e nunca renunciou o futebol. Acabou a carreira enquanto profissional em 2014, após uma curta passagem pelos gregos do Olympiacos. Em 2018, regressou ao Barcelona, clube que representou entre 2007 e 2013, para cumprir funções enquanto Diretor para o futebol dos catalães.
Didier Drogba – O melhor marcador de sempre da seleção da Costa do Marfim disse adeus aos relvados em 2018, quando já tinha 40 anos. Em dezembro desse ano, tornou-se vice-presidente da organização internacional ‘Peace and Sport’, baseada no principado monegasco. Em 2007, foi nomeado um dos embaixadores de Boa Vontade da UNDP (United Nations Development Programme). Em 2009, em conjunto com a Pepsi  e com a Fundação Didier Drogba, doou cerca de três milhões de euros para a construção de uma unidade hospitalar na sua cidade natal, em Abidjan, tendo sido ainda, no mesmo ano, uma das figuras na Luta contra a Sida.
Walter Casagrande lamentou que Ronaldinho tenha acabado a carreira demasiado cedo. "Fez muitas festas sem responsabilidade. Eu também tive dificuldades quando parei. Tudo que eu queria era droga. Também me perdi mas recuperei e estou até hoje a trabalhar", acrescentou.

O Ministério Público do Paraguai desconfia Ronaldinho e o irmão possam estar envolvidos noutros crimes, além da utilização de passaportes falsos, pelo qual foram detidos. Por isso, alega que Ronaldinho e Assis têm de continuar presos, de modo a evitar uma eventual fuga.

Depois de ser detido Ronaldinho tentou voltar ao Brasil mas voltou a ser preso pelas autoridades. Desde então tem-se adaptado melhor do era esperado ao 'estatuto' de recluso e até participou num torneio de futebol entre os presidiários.

2
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.