Vice-presidente do Flamengo detido no âmbito da operação Lava Jato

Eduardo Bandeira de Mello irá assumir as funções desempenhadas por Flávio Godinho

A Polícia Federal brasileira deteve esta quinta feira o vice-presidente para o futebol do Flamengo, Flávio Godinho, no âmbito de uma operação ligada à investigação anticorrupção denominada por Lava Jato.

Em causa está a ligação na década de 80 de Flávio Godinho ao magnata Eike Batista, que se encontra foragido às autoridades brasileiras, e o seu eventual envolvimento em várias empresas 'offshore' envolvidas em lavagem de dinheiro.

O clube carioca emitiu já uma declaração em que se distancia da prisão de Flávio Godinho, considerando-a uma questão de índole pessoal e espera que "todos os factos sejam definidos e esclarecidos".

O Flamengo pretende ainda que o caso que envolve Flávio Godinho "seja esclarecido a bem da transparência na gestão" e como forma de "incentivar este valor em todas as esferas da sociedade".

Flávio Godinho, que regressou em 2015 ao Flamengo, após uma primeira passagem pela direção em 2012, tinha entre as suas tarefas a responsabilidade do recrutamento de jogadores, como a recente contratação do argentino Dario Conca.

O Flamengo informou ainda que o presidente Eduardo Bandeira de Mello irá assumir as funções até agora desempenhadas por Flávio Godinho como vice-presidente para a área do futebol.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.