Abel Ferreira: «No futebol, ainda mais no Brasil, temos de encontrar culpados e o culpado sou eu»

Palmeiras falhou a conquista da Supertaça sul-americana

• Foto: Reuters

O Palmeiras, de Abel Ferreira, falhou na quarta-feira a conquista da Supertaça sul-americana, ao perder com o Defensa y Justicia no desempate por penáltis (3-4), depois do desaire por 2-1 nos 120 minutos, em Brasília. Após o triunfo por 2-1 em Buenos Aires, os brasileiros adiantaram-se em casa, num penálti de Raphael Veiga, aos 23 minutos, mas os argentinos deram a volta ao resultado, com tentos de Braian Romero, aos 30, e Marcelo Benítez, aos 90+3'. No prolongamento, já com as duas equipas reduzidas a 10, Gustavo Gómez falhou novo penálti para os locais, aos 100 minutos, e os argentinos acabaram por impor-se na 'lotaria', negando ao Palmeiras o que seria o terceiro troféu na 'era' Abel Ferreira, depois das vitórias na Taça Libertadores e na Taça do Brasil. 

No final do encontro, o treinador português fez um 'mea culpa': "Do outro lado havia uma equipa de qualidade, intensa, argentina, mas podemos estar aqui a dar as desculpas que quiser. O que fica é o resultado, é o que conta. Estivemos a pouco menos de um minuto de levantar a taça e não fomos capazes de conseguir, por um remate a 40 metros da baliza que levou ao prolongamento. Tivemos uma expulsão no jogo, estes são fatores que determinam o desenrolar do jogo. Tivemos um penálti para sair na frente, mas o futebol é isso. E no futebol, ainda mais no Brasil, temos de encontrar culpados e o culpado sou eu".

O Palmeiras segue agora com a disputa do Campeonato Paulista e, amanhã, defronta o São Paulo sem saber como a equipa vai reagir ao desaire da última noite.
 
"Vai ser um desafio. Foram dois jogos que perdemos nos penáltis [Supercopa e Recopa], com tudo para ganhar durante o tempo normal. Temos que aguentar a dor, não há outra forma, temos que sofrer, que é o que sinto agora. Para perder é preciso chegar aqui. Esta equipa ganhou o Paulista, não comigo, perdeu um Brasileirão porque era impossível com o calendário que tínhamos, ganhámos a Libertadores porque fomos para a final, perdemos o Mundial porque fomos à final, perdemos a Supercopa porque fomos à final e perdemos a Recopa porque fomos à final. Vai ser um ano duro, mas é aguentar, suportar e seguir em frente", concluiu.

Por Record
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Brasil

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.