Das drogas às polémicas que deram prisão: a controversa vida do avançado brasileiro Jobson

Jogador está de regresso ao futebol com o aval do Ministério Público, mas é obrigado a enviar relatórios semanais

• Foto: Twitter

É daquelas histórias que davam origem a um filme digno de Hollywood. Suspenso durante três anos pela FIFA, acusado de recusar fazer testes antidoping, preso por suposta violação a menores e, ainda, envolvido num acidente de viação que provocou... uma morte. Eis a história de vida de Jobson Leandro Pereira de Oliveira, ex-avançado do Botafogo, que esta segunda-feira assinou contrato com a Portuguesa, emblema do campeonato carioca.

Em 2015, Jobson foi suspenso pela FIFA e impedido e realizar qualquer atividade relacionada ao futebol até 31 de março de 2018, após ter sido acusado pelos árabes do Al-Ittihad de se recusar a cumprir o controlo antidoping. Acusado de ter consumido droga, o jogador acabou por confessar, posteriormente, que era... cocaína. Posto isto, a FIFA deu validade mundial à pena que tinha sido imposta, inicialmente, pela Federação Saudita de Futebol.

Mas esta verdadeira 'trama' não acaba por aqui. Durante o período de suspensão do futebol, o nome do avançado foi envolvido ainda num suposto caso de violação de menores, tendo sido posteriormente preso por três ocasiões. 

Em 2017, Jobson envolveu-se num acidente de viação que causou a morte de um homem. Na altura, estava a cumprir liberdade condicional e acabou por ser preso novamente. Dois meses depois sairia livre, após pagamento total da fiança.

Por Sérgio Magalhães
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Brasil

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.