Deivid: «Se dessem tempo ao Paulo Bento ele teria feito um grande trabalho»

Antigo avançado critica o imediatismo que mina o futebol brasileiro

• Foto: Deivid/Twitter

É, provavelmente, a primeira voz a defender o trabalho desenvolvido por Paulo Bento na curta passagem do antigo selecionador nacional pelo Cruzeiro. Não elogia a ação do técnico português, mas critica o comportamento dos responsáveis do clube de Belo Horizonte, por quem foi dispensado na época passada.

"Dizem que o futebol brasileiro precisa de ser reformulado, mas ninguém faz nada. É tudo dito da boca para fora. Se dessem tempo ao Paulo Bento, por exemplo, ele teria feito um grande trabalho", argumenta Deivid, que, em Portugal, representou o Sporting e segue agora a carreira de treinador, que deve passar pela Europa.

"Quero ficar na Europa e prosseguir a carreira aqui. Não tenho vontade de voltar", confessa o antigo avançado, em entrevista ao blogue 'Ora Bolas', explicando minuciosamente a sua preferência pelo Velho Continente.

"A riqueza do futebol europeu é sensacional. Treinos, plataformas, conceitos, filosofia... Vou prosseguir a carreira aqui, onde respeitam contrato e metologia de trabalho. Aqui existe convicção profissional, não é do dia para noite que você monta uma equipa de sonho. É preciso manter uma linha de trabalho, ter tempo e, claro, confiança dos dirigentes", assume Deivid, apontando mais algumas diferença entre Europa e Brasil.

"O Brasil tem a técnica, é a nossa essência, mas é na Europa que vemos o padrão, organização e futebol taticamente bonito. Até os neurónios são estudados aqui. Eles dizem: 'corta a cabeça que você não consegue chutar a bola'. É impressionante", reforça o antigo dianteiro de 34 anos, que iniciará, em breve, um curso para treinadores da UEFA, depois de já ter realizado alguns estágios com as equipas técnicas de Real Madrid, Lyon, Fenerbahçe e... Estoril.

Esta é, porém, uma paixão que para Deivid nasceu há já alguns anos. "Tenho pelo menos dez anos de preparação. Há muito tempo que decidi ser treinador. Aprendi muito observando e conversando com o Luis Aragonés e o Vanderlei Luxemburgo. Também aprendi com o Mano Menezes, que me ajudou bastante", confessa o jovem técnico, contando pormenores da experiência na Turquia

"Eu e o Alex chegamos a comprar um campinho magnético para estudar tática e trocar ideias. Ele brincava: 'No futuro, você será o treinador e eu o seu auxiliar'. Tínhamos esse plano. Quem sabe no futuro", reconhece, entre sorrisos, o técnico que partilhou esta sexta-feira no twitter uma fotografia no Estádio do Jamor, durante o treino do Estoril.

Hoje vim acompanhar o treino do Estoril! ??#toureuropeu #futebol

A photo posted by Deivid (@oficialdeivid) on

Por João Lopes
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Brasil

Notícias

Notícias Mais Vistas