Detido pela morte do jogador do S. Paulo confessa em carta para a irmã: «Fui covarde»

Ygor King, um dos acusados, afirma à família que não teve participação no assassinato de Daniel Correa

Daniel Correa
Ygor King
Edison Brittes Jr e a mulher, Cris
Edison Brittes, a mulher e a filha
Daniel Correa
Ygor King
Edison Brittes Jr e a mulher, Cris
Edison Brittes, a mulher e a filha
Daniel Correa
Ygor King
Edison Brittes Jr e a mulher, Cris
Edison Brittes, a mulher e a filha

Ygor King, um dos seis acusados da morte de Daniel Correa, jogador do São Paulo barbaramente assassinado a 27 de outubro, em São José dos Pinhais (Paraná), Brasil, escreveu uma carta à irmã, na qual que estava "no lugar errado, na hora errada", que foi um "covarde", que "teve medo" e não soube o que fazer.

Segundo a imprensa brasileira, a carta de Ygor King, agora divulgada, foi escrita 15 dias após a sua detenção. 

"tenho pesadelos todos os dias, não durmo bem, não consigo entender o por que estou nesse lugar por uma coisa que eu não fiz. A vida inteira fazendo as coisas certas, sempre estudei, trabalhei, nunca coloquei uma droga na boca, sempre quis fazer o certo, ser alguém na vida", pode ler-se na carta.

Ygor confessa que tinha o sonho de ser advogado, mas que atualmente "nada faz sentido", reafirmando a sua inocência no caso. 

"Meu sonho de advogado já era, nada faz mais sentido para mim. As pessoas aí fora acham que sou um monstro e tudo isso porque eu fui covarde e tive medo, não soube o que fazer, fiquei apavorado. Não tenho mais gosto pela vida, só queria saber por que Deus está fazendo eu passar por tudo isso. Só espero que você me perdoe, eu amo vocês mais que tudo. (...) Só quero que vocês entendam e acreditem em mim que eu não tive participação nenhuma. Deus conhece meu coração e sabe de tudo", refere na carta.

Segundo a acusação do Ministério público, Ygor King era um ocupantes do carro de Edison Brittes, o autor confesso, quando levaram o futebolista para o local onde foi encontrado.  David Willian Silva e Eduardo Henrique da Silva eram os os ocupantes da viatura. Também a mulher e a filha de Edison Brittes, Cristiana e Allana, estão acusadas de envolvimento no homicídio de Daniel Correa. Aguardam todos julgamento em prisão preventiva.


Leia a carta na íntegra:

"Oi minha irmã, primeiramente queria pedir desculpas por tudo isso. Só quero que você saiba que eu não tenho nada a ver com isso tudo. Infelizmente eu estava no lugar errado na hora errada, tenho pesadelos todos os dias, não durmo bem, não consigo entender o por que estou nesse lugar por uma coisa que eu não fiz.

A vida inteira fazendo as coisas certas, sempre estudei, trabalhei, nunca coloquei uma droga na boca, sempre quis fazer o certo, ser alguém na vida para vocês se orgulharem de mim e tudo foi por água abaixo por uma coisa que não fiz. Se um dia eu sair desse lugar, não sei o que vai ser da minha vida. 

Meu sonho de advogado já era, nada faz mais sentido para mim. As pessoas aí fora acham que sou um monstro e tudo isso porque eu fui covarde e tive medo, não soube o que fazer, fiquei apavorado. Não tenho mais gosto pela vida, só queria saber por que Deus está fazendo eu passar por tudo isso. Só espero que você me perdoe, eu amo vocês mais que tudo.

Agradeço a Deus por ele ter colocado vocês na minha vida. Desculpa de novo fazer vocês passarem por isso, só quero que vocês entendam e acreditem em mim que eu não tive participação nenhuma. Deus conhece meu coração e sabe de tudo. Manda um beijo para todos. Amo você."

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Brasil

Notícias

Notícias Mais Vistas