Felipe Melo nega que pudesse ser assassino

Jogador do Inter diz-se traído pela tradução para italiano

• Foto: EPA

Felipe Melo é daqueles personagens no futebol que ganham as manchetes em frações de segundos. Ele já atuou por grandes times como Flamengo, Cruzeiro, Grémio, Fiorentina, Juventus e Galatasaray, além da seleção brasileira. Hoje está na Inter Milão.

Sempre foi conhecido e até questionado pelo seu temperamento explosivo dentro dos relvados, e por algumas polémicas fora deles. Não se considera perseguido, diz que "já não se preocupa mais". Numa polémica recente, assumiu que, se não fosse jogador seria assassino, em entrevista ao canal italiano "Sky Sports".

Explicou-se nas redes sociais, avisou que o idioma o derrubou. Mas em entrevista ao site Globoesporte.com, deixou claro que não falou nessa conotação. E que jamais teria optado pelo crime se não fosse jogador de futebol.

"Todo mundo entendeu o que eu quis dizer. Não vim de família de bandidos e assassinos. Fui muito bem educado. Nunca seria assassino. Eu disse que a facilidade de quem vive em comunidade carente, na favela, para entrar nessa vida é grande. Eu não seria nada disso. Nasci em Volta Redonda, depois fui criado no Rio, em zonas em que não podia caminhar. Mas escolhi ser jogador por um sonho, um ideal. Meu pai sempre me educou, às vezes dobrava no trabalho e sempre me ajudava", afirmou Felipe Melo, por telefone.

Por António Carlos. Rio de Janeiro. Brasil
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Brasil

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.