Jogou no Palmeiras e agora limpa sarjetas: «Vergonha deve ter quem atira lixo para o chão»

Jorge Preá tem mulher, cinco filhos e diz que "é preciso trabalhar"

Jorge Preá jogou futebol durante mais de 10 anos. Vestiu a camisola do Palmeiras, passou pela Coreia do Sul, mas não vive, aos 35 anos, com os bolsos cheios. Nem se passeia em carros topo de gama ou com esculturais modelos em praias paradisíacas. A vida de Jorge tomou outro rumo e hoje limpa sarjetas em São Paulo.

Apresenta-se ao trabalho às 7 da manhã e já não calça chuteiras, nem veste camisolas e calções. O seu equipamento agora inclui botas, capacete, luvas e óculos, tudo estritamente necessário para as suas novas funções, que abraçou por necessidade e das quais não se envergonha.

O ex-jogador conta ao site UOL que o seu último clube não pagou os vencimentos e ele tinha contas para pagar. Com a mulher grávida do quinto filho, Jorge Preá aceitou o primeiro emprego que apareceu. "Nunca me senti menosprezado. O meu filho mais velho (Kaique, de 15 anos) gostava que eu voltasse a jogar, mas ele sabe no que o pai trabalha e isso nunca foi um problema. Digo a toda gente, é preciso trabalhar. Joguei no Palmeiras há dez anos, mas isso não me dá dinheiro."

O emprego surgiu por indicação de um familiar, há 6 meses. O primeiro salário entrou na conta e isso foi o mais importante. O antigo avançado garante que não tem vergonha da sua profissão, em que muitas vezes tem de lidar com ratos e escorpiões. Diz que ajuda a cidade a evitar as enchentes em tempo de chuva e que "vergonha deve ter quem atira lixo para o chão", que depois vai entupir as sarjetas.

Do futebol restam a casa onde mora com a família e um apartamento que comprou para a mãe. No último dos quatro anos que esteve no Palmeiras ganhava pouco mais de 8 mil euros por mês, mas não chegou a fazer fortuna porque nunca esteve envolvido numa grande transferência. "Com o primeiro contrato que fechei, comprei uma casa para minha mãe. Um apartamento, era uma prioridade. E antes de me retirar construí minha casa."

A mulher, Ingrid, é um dos seus grandes apoios... "É uma mulher guerreira. Está comigo antes da carreira no futebol. Nos momentos bons e nos ruins. Estamos juntos para qualquer hora", constatou, orgulhoso.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Brasil

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.