MLS: Colombus Crew, de Pedro Santos, goleia (4-1) NY City

Final da Conferência Este quase definida

Pedro Santos, ex-Sp. Braga, o único português ainda em prova na MLS, está a um pequeno passo de chegar à final da Conferência Este. Os Colombus Crew, com o extremo em bom plano, golearam os NY City, por 4-1.

Os finalistas de 2015, que na época passada nem passaram da 1ª fase e nesta apuraram-se no limite,  viajam para a Big Apple com vantagem confortável para a 2ª mão e são agora o principal candidato a defrontar os Toronto FC (venceram 2-1 em casa dos NY Red Bulls) na final do lado Este.

Num bom jogo, quando se esperava o domínio de David Villa e companhia, foram os Crew a controlar praticamente desde o início. A vantagem dos amarelos começou logo ao minuto 6, num ataque iniciado por Pedro Santos. O português centrou, Higuain (o irmão mais velho do atacante da Juventus) rematou para defesa de Sean Johnson e Ola Kamara marcou na recarga.

Um início de sonho para os Crew e de pesadelo para o guarda-redes dos citizens. Sean Johnson é um dos melhores guarda-redes da MLS mas não vai guardar boas recordações deste jogo pois a sua exibição foi realmente fraca.

O guardião voltou a defender para a frente aos 20’ mas Higuain não chegou a tempo para recargar. Depois, também não segurou um tiro de Pedro Santos (32’) mas Justin Meram, com a baliza escancarada, rematou para a bancada…

Os homens de Patrick Vieira só responderam com perigo depois da meia-hora, sempre por David Villa. O espanhol rematou ao lado aos 36 e no minuto seguinte acertou no poste.

Na 2ª parte esperava-se a reação dos NY City, até porque os Crew tinham jogado um prolongamento três dias antes, quando eliminaram Atlanta. No entanto, a reação foi travada por Alex Callens, expulso por agredir Justin Meram – o árbitro pediu ajuda ao VAR e confirmou a cotovelada.

Com mais um homem, os Crew nem precisaram de acelerar muito, só o fizeram em contra-ataques, dois deles fatais para os visitantes. Num lance de 4 para 2, Higuain ofereceu a Artur a possibilidade de marcar e o brasileiro não perdoou.

Justin Meram, o avançado nascido nos Estados Unidos mas com nacionalidade iraquiana, fez o terceiro, com Sean Johnson novamente mal, a deixar a bola passar por baixo do corpo. Foi o 14º golo do atacante na época e com 3-0 a eliminatória parecia resolvida.

Quem não desistiu foi David Villa que aproveitou um deslize de Jonathan Mensah e, à meia-volta, marcou o primeiro golo de sempre dos citizens em jogos de play-off.

Renascida a esperança para a equipa de Patrick Vieira: com este 3-1, bastava ganhar 2-0 na 2ª mão. Os citizens devem ter ficado tão convencidos com o golo que adormeceram nos descontos, permitindo o 4-1 a Harrison Afful.

O defesa vai poder contar aos netos que um dia marcou um golo depois de passar sozinho por cinco adversários, todos dentro da grande área. Um lance para envergonhar a defesa dos visitantes pois o internacional ganês nem precisou de velocidade, pareceu avançar em câmera lenta, passando por todos até bater Sean Johnson. Um golo daqueles dos treinos mas pouco admissível numa meia-final da MLS.


Por Miguel Amaro
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Países

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.