Barcelona rejeitou 300 milhões de euros por 'naming' de Camp Nou

Negócio não se concretizou por causa de um processo da MediaPro contra Sandro Rosell, antigo presidente da formação catalã

• Foto: Reuters

No último verão, a Mediapro ofereceu 300 milhões de euros pelo 'naming' do estádio do Barcelona, Camp Nou, durante 20 anos. Segundo Jaume Roures, sócio fundador da Mediapro, confirmou em entrevista à rádio COPE, houve várias reuniões entre os responsáveis do Barcelona e do grupo de comunicação social espanhol, no entanto as negociações falharam devido a uma ação judicial contra Sandro Rosell, antigo presidente da formação catalã.

De acordo com o explicado por Jaume Roures, depois de quatro reuniões, onde esteve presente o presidente Joseph Maria Bartomeu, o Barcelona terá imposto como condição para avançar com o negócio que a Mediapro retirasse o processo contra o antigo líder do clube, Sandro Rosell, em que é acusado de espionagem.

Uma imposição do Barcelona não aceite pela Mediapro. "Ofereci-me para retirar a ação judicial quando Sandro Rosell foi preso. Não gosto de ver as pessoas na prisão e se houvesse um reconhecimento do que tinha feito eu retirava a ação... mas isso não tinha nada a ver com a posição do clube. Estávamos a negociar o 'naming' do estádio e de repente surgiu uma exigência que nada tinha a ver com aquilo", explicou Jaume Roures. 

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Espanha

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.