Escândalo em Espanha: Líder da Associação de Futebolistas acusado de suborno

Denúncia feita por funcionário

Um email enviado a todos os membros da direção da AFE (Associação de Futebolistas de Espanha) denunciou a prática de suborno por parte de David Aganzo e Diego Rivas, aqueles que são, respetivamente, presidente e secretário-geral do organismo. A missiva foi enviada por Antonio Saiz Checa, um experiente funcionário da AFE, que não escondeu a angústia por ter sido subornado para "conseguir documentação económica do sindicato dos futebolistas". 

No referido email, seguia uma carta em anexo, à qual o jornal 'Marca' teve acesso, e na qual se poderia ler o que Aganzo pretendia e a forma como o conseguiu. 

"O presidente, fazendo uso da sua superioridade hierárquica, obrigou-me, mediante várias pressões, a colaborar para conseguir de forma ilícita documentação económica do Sindicato dos Futebolistas. O presidente pretendia demonstrar que o Sindicato estaria a ser financiado pela Liga de Futebol Profissional. Esta documentação deveria ser conseguida através do pagamento de três mil euros a um funcionário público, um valor para o qual contribuíram alguns membros da direção e trabalhadores da AFE, e com o contributo de Don David Aganzo e Diego Rivas. A documentação económica entreguei-a pessoalmente a David Aganzo, estando presente, entre outros, também Diego Rivas", acusa Saiz Checa, cujas acusações vão mais longe e falam em tentativas de coação.

"Como consequência da gestão que estava a levar a cabo David Aganzo e a sua equipa, participe na moção de censura que foi posta em marcha em início de agosto. Fui despedido no dia 12. A 15, contra a minha vontade, David Aganzo gravou pessoalmente um vídeo meu e obrigou-me a publica-lo nas minhas redes sociais, se eu pretendia evitar futuros problemas e recuperar o meu posto de trabalho. Obrigou-me a dizer as palavras que me ia indicando. O tempo de gravação de um vídeo de um minuto durou cerca de duas ou três horas. O objetivo era neutralizar o movimento que tinha iniciado contra a sua gestão. submeteu-me a uma chantagem emocional e profissional, tendo depois voltado a contratar-me", conta o ainda elemento da AFE, que assume que foi obrigado a "receber apoio psiquiátrico".

O que levou então Antonio Saiz Checa a efetuar agora esta denúncia? A resposta é simples: "Estes relatos estão na Justiça, não poderia continuar com esta enorme carga. Este passo foi dado com o apoio da minha família, a quem contei os meus erros e de quem recebi todo o apoio. Foi este arrependimento que me deu forças para vencer as fortes pressões e espero receber dos meus colegas todo o apoio e compreensão", sublinhou.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Espanha

Notícias

Notícias Mais Vistas