Ex-Real Madrid entre os futebolistas detidos em Espanha por suspeitas de jogos combinados

Borja Fernández, do Real Valladolid, e o presidente do Huesca são outros dos alvos

Vários futebolistas foram detidos em Espanha por suspeita de prática ilícita de resultados combinados em jogos da primeira e segunda divisão espanhola, avança o 'Servimedia' esta terça-feira.

O ex-jogador do Real Madrid Raúl Bravo, assim como Borja Fernández, o médio do Valladolid, e o presidente do Huesca, Agustín Lasaosa, estão entre os detidos, refere ainda a publicação espanhola.

Raúl Bravo será o cabecilha de uma organização criminosa relacionada com apostas desportivas. 

Sede do Huesca foi alvo de buscas

Carlos Aranda, avançado formado no Real Madrid e que passou por várias equipas da LaLiga, e Íñigo López, atualmente no Deportivo, são outros dos detidos. Samu Saiz, do Getafe, também está a ser investigado, no entanto não se encontra entre os detidos. 

Juan Carlos Galindo Lanuza, diretor do departamento médico do Huesca, clube que acabou a época despromovido à 2.º divisão, também pertenceria a esta rede criminosa, acusada de corrupção e branqueamento de capitais.

Esta operação das autoridades espanholas está a decorrer desde a manhã desta terça-feira. De referir que a sede do Huesca também está a ser alvo de buscas.

Entretanto, o presidente da liga espanhola, Javier Tebas, já comentou a operação da polícia, afirmando que esta foi desencadeada por uma denúncia de LaLiga: "Isto é muito doloroso mas o importante é acabar com a corrupção no futebol."

Foram as movimentações nas casas de apostas, a favor da vitória do Nàstic, quando o Huesca já tinha assegurado a subida à LaLiga, que levantaram suspeitas.

O jogo que garantiu a entrada do Valencia de Gonçalo Guedes na Champions também está sob suspeita, segundo garante o jornalista espanhol da Antena 3 Nacho Abad. No total, deverão ser nove os jogos que estão a ser investigados.

Todos os detidos são suspeitos de organização criminosa, corrupção e branqueamento de capitais.

De acordo com a investigação, a rede selecionava jogos nas duas principais divisões do futebol espanhol e angariava futebolistas, aos quais pagava antecipadamente e em dinheiro para contribuírem para a vitória da equipa adversária.

Aquela forma de operar, permitia aos suspeitos apostar elevadas quantias em vários parâmetros do jogo: resultado final, resultado ao intervalo e número total de cantos, entre outros.

Corrupção no futebol espanhol: as buscas e as detenções já conhecidas
presidente do Huesca
Raúl Bravo, ex-jogador do Real Madrid, é apontado como o cabecilha da rede criminosa
presidente do Huesca
Raúl Bravo, ex-jogador do Real Madrid, é apontado como o cabecilha da rede criminosa
presidente do Huesca
Raúl Bravo, ex-jogador do Real Madrid, é apontado como o cabecilha da rede criminosa




(notícia atualizada às 12h03)

11
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Espanha

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.