Gary Neville: «Não queria treinar e sentia vergonha de utilizar tradutor»

Antigo jogador do Manchester United recordou passagem pelo comando técnico do Valencia

• Foto: Reuters

Foi uma passagem sem sucesso aquela que Gary Neville teve à frente do Valencia, na época 2014/2015. Chegou para substituir Nuno Espírito Santo, mas a escolha de Peter Lim revelou-se desastrosa. Somou 10 vitórias, 7 empates e 11 derrotas em 28 jogos. O antigo defesa do Manchester United recordou a sua passagem pelo emblema espanhol e reconhece os erros.

"Olhando para trás, a última coisa que o Valencia precisava era de um treinador sem experiência e a última coisa de que eu precisava era de pessoal sem experiência", recorda Gary Neville, à Sky Sports.

"Foi uma decisão que tomei em dois dias, influenciada pela arrogância e pelo ego. Tinha estado num dos melhores clubes do mundo durante 20 anos, mas rapidamente descobri que quando não estás preparado e enfrentas algo para o qual não estás qualificado, recebes uma chapada. Era um estranho numa cidade que não estava à minha espera", lamentou.

Naquela que foi a sua primeira e única experiência como treinador principal - foi técnico adjunto da seleção inglesa -, o atual comentador televisivo lamentou os problemas de comunicação com a equipa.

"Não queria ir treinar. Para além disso, sentia-me envergonhado por utilizar um tradutor, eu que sou um bom comunicador", realçou.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Espanha

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.