Tribunal rejeita recurso de Laporta contra acordo no caso Neymar

Basta assinatura de Bartomeu para vincular Barcelona a pagamento de multa milionária

Rosell e Bartomeu escapam assim à responsabilidade no âmbito da fraude fiscal cometida na contratação de Neymar
• Foto: Reuters

O Tribunal de Barcelona não deu provimento a um recurso apresentado por Joan Laporta no qual o antigo presidente do Barcelona tinha como objetivo impedir a aplicação do acordo que prevê que o clube culé assuma toda a responsabilidade pelas irregularidades cometidas na contratação de Neymar, pagando uma multa milionária por isso. O acordão sublinha que há outras formas para prosseguir a litigação, encerrando de vez a via penal.

O acordo, estabelecido entre o Barça, a Procuradoria da Catalunha e o estado espanhol, iliba os dirigentes responsáveis pela contratação do internacional brasileiro em 2013, fixando a obrigatoriedade de serem pagos 5,5 milhões de euros de multa. 

O presidente à altura dos factos, Sandro Rosell, e o atual, Josep Maria Bartomeu, então vice-presidente com pelouro das finanças, ficam fora destas contas, o que Laporta e outros sócios do Barcelona não consideram correto.

O processo fica encerrado, bastando agora apenas uma assinatura de Bartomeu para ratificar o acordo, com Laporta a ser obrigado a procurar outras formas de responsabilizar o atual presidente culé e o seu antecessor neste caso.

Recorde-se que corre ainda outro processo no âmbito do denominado caso Neymar, o qual envolve a DIS, grupo brasileiro que detinha parte do passe do avançado e que pretende uma avultada indemnização por entender que foi lubridiado.

1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Espanha

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.