Record

Zidane: «Fui-me embora porque precisava»

Treinador explica adeus no final da última época e diz-se feliz por regressar

• Foto: EPA
O novo treinador do Real Madrid, Zinedine Zidane, realçou esta segunda-feira a sua felicidade por regressar aos 'merengues', menos de um ano depois de ter saído do cargo, afirmando que quer devolver o clube ao patamar onde deve estar.

"Fui-me embora porque precisava. Agora, estou muito feliz por voltar a casa. Depois de oito meses, tenho vontade de voltar a treinar", lançou o técnico francês em conferência de imprensa no Estádio Santiago Barnabéu, em Madrid.

O antigo internacional gaulês, cujo regresso ao 'colosso' espanhol foi horas antes oficializado, sublinhou que pretende devolver o clube ao rumo das vitórias e das conquistas, admitindo que o plantel madridista precisava de uma mudança.

"O presidente telefonou-me e, como gosto dele e do clube, aqui estou. Não pude dizer que não ao presidente. É uma grande responsabilidade, mas sou só mais um. Sou apenas mais um no clube", destacou 'Zizou'.

De resto, Zidane assegurou que não se esqueceu das conquistas do Real Madrid durante a sua primeira passagem pelo banco dos 'merengues', mas que também não se esqueceu das coisas que correram mal.

"Eu sei onde estou. A minha ambição e o que tenho dentro de mim ninguém vai tirar. Vou fazer todos os possíveis para que a equipa melhore", assinalou, considerando que está no "melhor clube do mundo" e vincando a sua alegria em fazer parte dele.

Segundo Zidane, "Cristiano Ronaldo faz parte da história do clube, mas não é o assunto" da atualidade, já que o técnico francês prefere olhar para as 11 partidas que tem pela frente de forma a terminar a época da melhor maneira.

"Vamos fazer por acabar a temporada da melhor maneira. E logo veremos o que se passa no ano que vem", disse, afirmando que quando saiu do clube, essa foi a "melhor solução para todos", e não só para si.

E salientou: "Estou preparado para viver de novo a experiência de treinar o Real Madrid. Este clube, de que eu gosto muito, deu-me esta oportunidade. Os jogadores são os primeiros a saber que este é um ano difícil, mas não se pode fazer sempre bem as coisas e ganhar. Às vezes, há que aceitar a mudança e que também há coisas más."

Zidane frisou ainda que, na sua temporada de despedida do Barnabéu, apesar de ter vencido a Liga dos Campeões, falhou a conquista da liga espanhola e da Taça do Rei.

"Este clube impõe. Treinar o Real Madrid é outra coisa. Posso dizer, porque já o vivi", rematou.

Por seu turno, o presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, disse na apresentação do treinador que sucede a Santiago Solari no banco dos 'blancos', que Zidane "representa o espírito e os valores sagrados" do clube, mostrando-se esperançado na sua capacidade para recuperar um plantel que passa por "momentos adversos", depois de uma temporada sem êxitos desportivos.

"Estamos muito conscientes de que atravessamos momentos adversos e sabemos a dor com que vivem os adeptos", lançou o dirigente, apelidando 'Zizou' como o "melhor treinador do mundo".

O líder do Real Madrid fez questão de apontar para a qualidade dos atuais jogadores do plantel, que já conseguiram no passado "triunfos e títulos inesquecíveis", entre os quais, quatro Ligas dos Campeões europeus nos últimos cinco anos, garantindo que vão contar com o seu reconhecimento eterno.

O Real Madrid anunciou hoje o regresso imediato de Zidane ao banco dos 'merengues', com contrato válido até 30 de junho de 2022, para o lugar que era ocupado pelo argentino Solari, que deve permanecer ligado ao emblema de Madrid mas com outras funções.

Zidane está de volta ao Real Madrid com um look que dá que falar
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Real Madrid

Notícias

Notícias Mais Vistas