Farto e furioso: presidente do PSG ameaçou deixar Neymar a treinar sozinho e sem jogar até 2022

'El País' conta que Al-Khelaifi perde as estribeiras perante a rebeldia do avançado brasileiro

Al-Khelaifi
Al-Khelaifi
Al-Khelaifi

O jornal espanhol 'El País' escreve esta terça-feira que o presidente do PSG perdeu a paciência com Neymar. Depois de o jogador ter dito que um dos melhores momentos da carreira foi a goleada do Barcelona ao PSG, o avançado brasileiro não se apresentou em Paris para a pré-temporada na data prevista e Nasser Al-Khelaifi foi 'aos arames'.

O líder qatari passou rapidamente do aborrecimento à fúria. Conta o jornal espanhol, citando fonte do clube parisiense, que Al-Khelaifi enviou vários intermediários, incluindo Leonardo, o diretor desportivo dos campeões gauleses, até junto do avançado e do seu pai, elevando sistematicamente o tom das ameaças.

Perante a relutância do jogador - que quer deixar o Parque dos Príncipes - em se apresentar, Al-Khelaifi ameaçou, inclusivamente, deixá-lo a treinar sozinho, sem jogar, até ao final do contrato (2022)! O dirigente fez ainda ver que esta crise está a afetar a imagem do estado do Qatar, proprietário do clube.

O líder do clube perdeu as estribeiras quando ouviu dizer que Neymar aceitava receber 'apenas' 24 milhões de euros limpos por época se fosse para o Barcelona. No PSG cobra 47 milhões...

Al-Khelaifi mandou Leonardo dizer ao avançado que se não se apresentasse na segunda-feira teria a mesma sorte de Adrien Rabiot. O francês, que já foi apresentado na Juventus, treinou à parte, sozinho, nos últimos seis meses, porque não aceitou renovar o contrato...

E adiantou ainda que o dinheiro não seria problema, ou seja, o PSG poderia perfeitamente dar-se ao luxo de pagar 47 milhões de euros por época ao brasileiro para não jogar...

O pai de Neymar respondeu-lhe que se Al-Khelaifi concretizasse a ameaça teria um motim no plantel. O brasileiro ganharia 47 milhões para estar em casa enquanto os restantes jogadores, a auferir metade, teriam de correr e esforça-se diariamente... "Em três semanas têm o Mbappé a pedir 100 milhões por ano", terá dito Neymar pai.

Perante este braço-de-ferro, acrescenta o 'El País', Leonardo e Al-Khelaifi telefonaram na semana passada ao pai de Neymar e baixaram o nível da agressividade. Convidaram-no a viajar para Paris, com o filho, de modo a ser encontrada uma solução para o problema e lembraram que o clube é uma espécie de emblema do estado do Qatar, pelo que não podem vender o passe do jogador por menos de 100 milhões de euros, tendo pago 222 milhões por ele há dois anos. Passaria uma imagem de incompetência.

E foi com este argumento que os Neymar foram convencidos a regressar a Paris. Resta saber se para ficar...

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de França

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.