Helena Costa: «Sou treinadora e não jogada de marketing»

explicou razões para abandonar projeto do clermont foot

Helena Costa sublinha que presidente tinha conhecimento do que estava a acontecer.
Helena Costa: «Sou treinadora e não jogada de marketing» • Foto: epa

Helena Costa regressou ontem a Portugal, depois de ter colocado fim à ligação com o Clermont Foot, da Ligue 2 francesa. A treinadora, que seria a primeira mulher a orientar uma equipa profissional masculina, confirmou a Record que foram questões relacionadas com a organização do plantel e planificação da época que originaram a saída precoce.

“Até à data que tomei a decisão todo o meu trabalho foi feito de forma correta e a honrar os meus compromissos. Eventualmente surpreendi porque eu sou treinadora e não uma jogada de marketing”, referiu a portuguesa de 36 anos, que confidenciou que na base do problema esteve o facto de o diretor desportivo Olivier Chavagnon estar a preparar a temporada sem a consultar.

“Há uma coisa que um treinador não tolera. Sendo técnica do Clermont Foot seria responsável pela equipa. Na contratação de jogadores teria de haver um acordo entre mim e o diretor desportivo. Havia várias hipóteses, não havia problemas financeiros e fui posta completamente à margem da construção do plantel. Não há como tolerar isto”, explicou, revelando que tudo o que recebeu foi um e-mail da secretária do clube... com a lista de jogadores que na segunda-feira estariam a efetuar exames médicos no estádio do emblema gaulês.

Este problema foi apresentado ao líder máximo do clube, Claude Michy, bem como a vontade de não trabalhar com Olivier Chavagnon. Contudo, não teve qualquer resposta. “Disse ao presidente que a equipa não era a minha e que havendo essa falta de confiança e comunicação eu não trabalharia com esse senhor. Pedi-lhe que tomasse uma decisão. Como isso não aconteceu, tomei-a eu. Não me arrependo”, acrescentou.

Surpresa

Helena Costa ficou surpreendida com o comunicado emitido pelo Clermont Foot na segunda-feira. “Reagi de forma pacífica porque foi o acordado entre mim e os empresários, supostamente para bem do clube”, revelou a treinadora, explicando porque não foi ela a anunciar a saída. “Decidi dar uma conferência de imprensa [ontem de manhã] e não disse nada que não seja verdade. Eu e o presidente discutimos os problemas, ele sabe porque saio”, afirmou, não querendo comentar as declarações de Claude Michy e da empresária Sonia Souid. “Não tive falta de confiança para encarar este projeto, pelo contrário. Se tivesse medo estaria lá. Estou a tomar uma posição que qualquer treinador tomaria, pois seria responsável por uma equipa com a qual não concordava. E nunca trabalharia diretamente com uma pessoa que não merecia a minha confiança”, concluiu.

2
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de França

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.