Neymar, o impensável aconteceu: brasileiro pede uma 'batelada' para ficar no PSG

'The Times' revela aumento salarial pretendido menos de um ano depois da contratação

• Foto: Reuters

A novela em torno do futuro de Neymar internacionalizou-se muito antes do avançado formado no Santos ser contratado pelo Barcelona à entrada do verão de 2013. E prossegue agora menos de oito meses da saída conturbada do clube catalão rumo ao Paris Saint-Germain (PSG), com o argumento do mais recente capítulo a ser escrito pelo jornal 'The Times'. A 'trama' apresentada pelos ingleses é brutal.

Com base numa fonte não identificada do PSG, o artigo revela que Neymar pediu mais dinheiro ao clube francês de forma a garantir que fica para a próxima temporada, recusando assim negociar com os interessados nos seus serviços, desde logo o Real Madrid.

O internacional brasileiro pretende um aumento de mais de 4,5 milhões de euros por... mês. A sua conta bancária cresceria quase 54,44 milhões euros no final de um ano, em cima da exorbitância que o PSG acordou em lhe pagar ao abrigo do contrato assinado no verão passado, válido por cinco temporadas: cerca de 300 milhões de euros/ano.

A informação junta-se ao enorme rol de rumores que circula em torno de Neymar, mas aqui há como suporte a viagem relâmpago de Nasser Al-Khelaifi  e Antero Henrique, presidente e diretor desportivo do PSG, ao Brasil na semana passada, logo após o craque ter sido operado ao pé direito... justificada por um evento de uma fundação patrocinada pelo avançado.

No mais recente rol de rumores sobre o futuro de Neymar contam-se ainda uma 'lista' que este terá partilhado com amigos na qual se contam os motivos do seu descontentamento no PSG. Tudo itens ultrapassáveis, caso os franceses abram (ainda mais) os cordões à bolsa...

14
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de França

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.