Pai de Neymar atira-se aos críticos: «A vontade é mandá-los à m...»

Brasileiro descreve vários casos em que o filho saiu lesionado

Cansado de ver o filho ser criticado e alvo da maldade alheia, o pai de Neymar perdeu a paciência, tendo recorrido às redes sociais para, numa extensa mensagem, atirar-se aos críticos do filho, descrevendo alguns lances, com duras faltas sobre o futebolista brasileiro do PSG.

Na última quarta-feira, Neymar sofreu a uma recaída na lesão do pé direito - que o afastou da competição durante parte da temporada passada. O avançado brasileiro foi substituído aos 62 minutos do encontro com o Estrasburgo, da Taça de França, tendo saído do relvado a chorar. 

A reação do craque do PSG foi alvo de muitas críticas, obrigando o pai a sair em sua defesa: "Se cair, meu filho é "cai-cai". Se ele se proteger fugindo da falta é simulação e se "simular", meu Deus, é terrivelmente contestado", refere o pai de Neymar, numa longa mensagem publicada no Instagram.

"Não é choro de pai não, é cansaço desse sistema socialista no futebol, "todos iguais". Driblar não pode? Ter talento não pode! Cansaço de alguns meios de comunicação mais preocupados em "vender" matérias. Sabe... como sempre a vida continua, o futebol também, e os babacas de plantão, que se dizem especialistas em futebol, continuarão realizando inquéritos perguntando se "o Neymar merece apanhar". Lamentável, para dizer o mínimo porque a vontade é de lhes mandar à m....; Meu filho, como sempre, já se levantou e começou de novo. Aproveitem agora e guardem o veneno. Mas se preparem porque, como sempre, ele voltará mais forte", termina o texto


Leia a mensagem na íntegra:

"Copa de 2014.
Uma entrada desproporcional e sem sentido. Tudo bem, aceitamos o destino, nada a fazer. Pensamos, oramos e chegamos à conclusão que meu filho até deu sorte porque poderia estar em uma cadeira de rodas. Graças a Deus não foi o que aconteceu e seguimos em frente.

Copa de 2018.
Um pisão em seu tornozelo quando fora de jogo. Disseram que não houve nada e que, pelo contrário, ele simulou. Tinha VAR, tinha o mundo inteiro vendo, mas enfim ele acabou considerado "culpado". .

Copa da França 2019.
4 faltas consecutivas, no mesmo lance (!!) até conseguirem provocar o desequilíbrio dele e posteriormente a torção.

Se cair, meu filho é "cai-cai". Se ele se proteger fugindo da falta é simulação e se "simular", meu Deus, é terrivelmente contestado.
Acompanho meu filho em seus jogos há muitos anos, sem faltar a nenhum deles.
Quando ele era criança, vendo que era mais franzino que seus adversários sempre o alertei sobre divididas:
"Nunca as enfrente, lei da física, vai perder. Se quiser vencer chega antes e se não puder evitar o contato, que esteja no ar. Um graveto no ar não se quebra, porém apoiado no solo facilmente se dobrará" !
Conselho de um pai.

Uma pancada por trás, como em 2014 não há conselho que o proteja, essa proteção precisa ser feita pela arbitragem. Um pisão fora do jogo não tenho como proteger, precisa ser feito pela arbitragem. Faltas consecutivas, típicas de um anti-jogo, também não temos como proteger, tem que ser feito pela arbitragem !!
Não é choro de pai não, é cansaço desse sistema socialista no futebol, "todos iguais". DRIBLAR NÃO PODE ? TER TALENTO NÃO PODE !!

Cansaço de alguns meios de comunicação mais preocupados em "vender" matérias. Sabe... como sempre a vida continua, o futebol também, e os babacas de plantão, que se dizem especialistas em futebol, continuarão realizando enquetes perguntando se "o Neymar merece apanhar". Lamentável, pra dizer o mínimo porque a vontade é de lhes mandar a m....;
Meu filho, como sempre, já se levantou e começou de novo.
Aproveitem agora e guardem o veneno. Mas se preparem porque, como sempre, ele voltará mais forte."

Ver esta publicação no Instagram

Copa de 2014. Uma entrada desproporcional e sem sentido. Tudo bem, aceitamos o destino, nada a fazer. Pensamos, oramos e chegamos à conclusão que meu filho até deu sorte porque poderia estar em uma cadeira de rodas. Graças a Deus não foi o que aconteceu e seguimos em frente. Copa de 2018. Um pisão em seu tornozelo quando fora de jogo. Disseram que não houve nada e que, pelo contrário, ele simulou. Tinha VAR, tinha o mundo inteiro vendo, mas enfim ele acabou considerado "culpado”. . Copa da França 2019. 4 faltas consecutivas, no mesmo lance (!!) até conseguirem provocar o desequilíbrio dele e posteriormente a torção. Se cair, meu filho é "cai-cai". Se ele se proteger fugindo da falta é simulação e se "simular", meu Deus, é terrivelmente contestado. Acompanho meu filho em seus jogos há muitos anos, sem faltar a nenhum deles. Quando ele era criança, vendo que era mais franzino que seus adversários sempre o alertei sobre divididas: “Nunca as enfrente, lei da física, vai perder. Se quiser vencer chega antes e se não puder evitar o contato, que esteja no ar. Um graveto no ar não se quebra, porém apoiado no solo facilmente se dobrará” ! Conselho de um pai. Uma pancada por trás, como em 2014 não há conselho que o proteja, essa proteção precisa ser feita pela arbitragem. Um pisão fora do jogo não tenho como proteger, precisa ser feito pela arbitragem. Faltas consecutivas, típicas de um anti-jogo, também não temos como proteger, tem que ser feito pela arbitragem !! Não é choro de pai não, é cansaço desse sistema socialista no futebol, “todos iguais”. DRIBLAR NÃO PODE ? TER TALENTO NÃO PODE !! Cansaço de alguns meios de comunicação mais preocupados em “vender” matérias. Sabe... como sempre a vida continua, o futebol também, e os babacas de plantão, que se dizem especialistas em futebol, continuarão realizando enquetes perguntando se “o Neymar merece apanhar“. Lamentável, pra dizer o mínimo porque a vontade é de lhes mandar a m....; Meu filho, como sempre, já se levantou e começou de novo. Aproveitem agora e guardem o veneno. Mas se preparem porque, como sempre, ele voltará mais forte.

Uma publicação partilhada por Neymar Pai (@neymarpai_) a


Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de França

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.