Pedro Mendes: «Adorava ter ficado em Portugal»

Central do Rennes lamenta primazia dos estrangeiros

• Foto: Getty Images

Formado no Real Sport Clube e no Sporting, Pedro Mendes representa o Rennes por estes dias. O central, de 24 anos, deu nas vistas por ter representado a equipa B do Real Madrid, ao passo que também já jogou pelo Servette, Parma e Sassuolo. Agora, titular na equipa da Ligue 1, Pedro Mendes olha para trás e lamenta a falta de oportunidades que teve em solo português.

"Na minha geração, só Josué e André Martins chegaram à equipa A das respetivas equipas e ficaram lá. Em Itália e França há maioria de jogadores nacionais, em Inglaterra é preciso um visto e já ter um certo estatuto. Nós, portugueses, já mostrámos ter excelentes talentos. Adorava ter ficado em Portugal, numa clube da 1.ª Liga. Tive de deixar o país para me mostrar. Agora, as equipas B são boas plataformas de lançamento porque estão na 2.ª divisão, mas na altura tinha de jogar na 3.ª. Quem é que me via?", sublinhou, em entrevista à ‘France Football’.

Firme no onze do Rennes, Pedro Mendes tem os olhos postos na Seleção Nacional, mas não perde o sono. "É o sonho de qualquer jogador, mas não estou obcecado com isso. Vou continuar a dar tudo para ter uma oportunidade. Se Fernando Santos me estiver a seguir é fantástico! Fui um dos capitães nas seleções jovens mas é completamente diferente na principal", explicou, antes de negar os rumores de que poderia estar na calha para representar a Suíça: "Gelson Fernandes perguntou-me se havia possibilidade e depois os jornalistas suíços também. Nem é preciso perguntar. Não tenho cidadania suíça e o processo de naturalização é muito complicado. Quero jogar por Portugal."

Lembranças de Mourinho

Enquanto esteve na equipa B do Real Madrid, Pedro Mendes teve a oportunidade de trabalhar sob as ordens de José Mourinho, um treinador a quem deixa muitos elogios. "É um perfecionista. Passa tempo com os jogadores para tentar ajudá-los, sejam eles o Cristiano Ronaldo, o Sergio Ramos ou o Pedro Mendes. Dá tudo em troca de tudo. Há tempo para tudo com ele: trabalho e divertimento", revela.

Menos bom foi o início da passagem pelos merengues, onde chegou a disputar um jogo das Champions em 2011/12. "Nem tudo foram rosas quando lá estive. Não fui bem recebido por todos. O meu agente era o Jorge Mendes, o treinador era Mourinho… Mas através de muito trabalho e humildade ganhei o grupo. Conquistámos tudo o que era possível e a cereja no topo do bolo foi jogar na Champions contra o Ajax", recorda.

Por Pedro Gonçalo Pinto
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de França

Notícias

Notícias Mais Vistas