Selecionador francês pede tolerância zero ao racismo

Na sequência de um alegado caso num particular na Rússia

• Foto: EPA

O selecionador francês, Didier Deschamps, pediu esta quarta-feira tolerância zero do governo ao racismo, depois de a FIFA estar a analisar um alegado abuso aos seus jogadores num particular na Rússia.

No jogo de preparação para o Mundial'2018, entre a França e a anfitriã Rússia, realizado no dia 27 de março, em São Petersburgo, ouviram-se vários gritos de macaco vindos do setor onde se encontravam adeptos russos, mas Deschamps garantiu hoje que os seus jogadores não foram afetados.

"Eles não falaram sobre isso, eu nem sei se eles notaram", disse o treinador de 49 anos.

Ainda assim, o treinador disse que o racismo "não pode ser tolerado" e que é "entre os governos e os serviços policiais que isso deve ser resolvido".

A FIFA está a investigar o caso procurando evidências de que aqueles gritos eram de caráter racista.

É o terceiro caso de racismo esta temporada no Estádio São Petersburgo, depois de duas acusações da UEFA, em dois jogos da Liga Europa.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de França

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.