Guardiola culpa árbitro velho conhecido, perde a razão e até vai buscar o jogo com United

Eliminação na Champions fez estalar verniz ao treinador do Manchester City

[videopub:http://spvd.i.xl.pt/YpNWuSoYuDeyi6C1ZKrO.jpg|http://spvd.v.xl.pt/YpNWuSoYuDeyi6C1ZKrO.mp4|290|240]

O ditado diz que em abril, águas mil. No caso do Manchester City a água está a ser substituída por derrotas. Os citizens não ganharam um único jogo desde o início do mês e na noite de quarta-feira foram mesmo eliminados pelo Liverpool da Liga dos Campeões, nos quartos-de-final. E no meio dos dois desaires frente aos reds nas Champions (3-0 e 2-1) está ainda o triunfo do Manchester United no Ethiad Stadium no sábado (3-2), a qual impediu de forma dramática a festa do título da Premier League em casa. Um verdadeiro balde de água fria...

Não está a ser fácil de 'digerir'. Nem mesmo para o habitualmente polido Pep Guardiola, que foi expulso pelo árbitro Matéu Lahoz por protestos... em espanhol. Os jogadores não perceberam a invalidação da jogada em que Leroy Sané marcou, o treinador também, e assim acabou por ver a segunda parte na bancada. Mas no final marcou presença na flash interview. E o verniz estalou.

Nas críticas a Lahoz, de quem não guarda boas recordações dos tempos em que orientou o Barcelona, Guardiola até foi buscar um alegado erro de arbitragem de Martin Atkinson, no jogo de sábado frente ao United de José Mourinho - desarme de Ashley Young sobre Sergio Agüero.

O repórter do BT Sport perguntou se o lance de Sané foi determinante para o desfecho do jogo e Guardiola embalou: "É o mesmo do último jogo, com o United. Minuto 78, o penálti mais inacreditável que vi em toda a minha vida e Martin Atkinson não quis apitar - seria o 3-3 e ainda haveria mais 12 minutos para jogar..."
 
"Neste tipo de jogos, em que as duas equipas são muito boas, decisões [de arbitragem] como esta fazem a diferença. Por isso, parabéns ao Liverpool, mas no momento certo sentimos falta de decisões corretas", reforçou o treinador do City nas declarações em que  deixou de fora o lance do golo da sua equipa, marcado por Gabriel Jesus, no início do qual Raheem Sterling cometeu falta sobre Virgil van Dijk.

"Só disse que era golo, não o insultei. Fui polido, correto, mas Matéu Lahoz é um tipo especial, gosta de ser diferente... gosta de ser especial. Sei o que se passou com o Monaco na época passada - uma falta para penálti incrível sobre o Sergio Agüero com 1-1 no marcador e ele ainda acabou por ver o cartão amarelo. Sei disto desde os tempos na liga espanhola que ele é um árbitro que gosta de ser diferente, especial: quando alguém vê uma coisa, ele vai decidir ao contrário. Só lhe disse que era golo, pelo que a decisão de me expulsar é exagerada. Nada disse de errado", encerrou Guardiola sobre Lahóz.
Guardiola viu 2.º parte do Man. City-Liverpool na bancada

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Inglaterra

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.