Hull City continua poderoso em casa

Vitória 2-0 sobre o Watford a jogar com 10 desde os 25 minutos

• Foto: Reuters

O Hull City de Marco Silva deu este sábado um passo importante rumo à permanência na Premier League, derrotando, por 2-0, em casa, o Watford. Com este triunfo, o técnico português continua invicto no KCOM Stadium, somando 6 vitórias e 1 empate nas partidas da liga disputadas diante dos seus adeptos. Os golos foram apontados por Markovic – sérvio que a meio da época trocou Alvalade pela Inglaterra – e por Clucas.

A jornada só não foi totalmente vitoriosa para o Hull porque, em Swansea, a equipa local recebeu e venceu o Stoke City, também por 2-0, resultado que faz com a vantagem para os lugares de descida se mantenha nos 2 pontos (33 para o Hull e 31 para o clube sediado no País de Gales).

Foi uma partida muito complicada para a formação do Hull. Não só por estar necessitada de pontos para alcançar a permanência, mas também porque o Watford entrou decidido a aproveitar a esperada ansiedade contrária. Aliás, nos primeiros minutos, os visitantes não só tiveram mais posse de bola, como rondaram várias vezes a baliza contrária.

Numa fase em que os locais já tinham conseguido equilibrar as operações, surgiu um momento que marcou todo o jogo: a expulsão de Niasse. Estavam decorridos apenas 25 minutos e após uma entrada dura sobre Niang, o avançado do Hull recolheu aos balneários. A missão do Hull tornou-se ainda mais complicada…

Com um homem a menos, a equipa de Marco Silva teve de trabalhar bastante, ser solidária a defender e inteligente na hora de contra-atacar. Contudo, rapidamente se percebeu, o domínio territorial acabaria por pertencer ao Watford, equipa que terminou com 65% de posse de bola.

Mas, como tantas vezes sucede, importante é saber o que fazer com a bola e não tê-la muito tempo. Assim, na segunda parte, depois de Evandro ter cedido o seu lugar a Abel Hernández, o Hull acabaria por conseguir chegar ao golo. Foi uma jogada de insistência e, no último momento, o ex-sportinguista Markovic atirou para o fundo da rede. Estavam decorridos 62 minutos.

O Watford sentiu o golpe, foi para a frente tentar reagir mas, por outro lado, também concedeu mais espaço de manobra ao Hull que, à passagem do minuto 71, através de forte pontapé de Clucas (de fora da área) aumentou a vantagem para 2-0, perante a natural satisfação dos adeptos (mais de 20 mil) e, claro, de Marco Silva, bastante efusivo nas comemorações.

Até final, como se previa, o Hull soube gerir a preciosa vantagem, perante um Watford com vontade, mas sem capacidade para incomodar verdadeiramente.

No final, Marco Silva elogiou o caráter dos jogadores e lamentou o erro de Robert Madley na expulsão de Niasse: "Foram fantásticos e mereceram a vitória. Conseguimos o que queríamos, mas foi muito difícil jogar com 10. Estivemos sempre focados e nunca deixámos de crer que podíamos vencer. Continuaremos a lutar pela permanência. A expulsão? Respeito o árbitro, pois o seu trabalho não é fácil. Porém, já não é a primeira vez que isto ocorre connosco. Não vejo que suceda o mesmo aos outros..."

Consulte o direto do jogo e os resultados da prova.

Por Luís Avelãs
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Inglaterra

Notícias

Notícias Mais Vistas