Marco Silva está cada vez mais perto de voltar ao ativo na Premier League, após a oficialização do despedimento de Sam Allardyce do comando do Everton. O ex-selecionador inglês, de 63 anos, substituiu Ronald Koeman em novembro e até conseguiu levar a equipa do 19º lugar ao 8º. No entanto, o clube, tal como assumiu em comunicado, quer iniciar "um plano a longo prazo", num processo a ser iniciado "imediatamente". É nesse projeto que entra o nome do português, de 40 anos.

O ‘namoro’ já é antigo. O ex-treinador do Watford até era a primeira opção quando Koeman foi afastado, mas Marco Silva acabou por permanecer nos hornets, tento sido demitido em janeiro. Sete meses depois da primeira investida, parece haver lugar a outra, com mais condições para ser bem-sucedida. A confirmar-se, será o terceiro clube de Marco Silva em Inglaterra, depois de também ter orientado o Hull City.

Os milhões da Ucrânia

Sam Allardyce não foi o único despedido. David Moyes foi afastado do West Ham e tudo indicava que entraria aqui outro português em equação. Paulo Fonseca, também visto com bons olhos pelo Everton, era o alvo preferencial dos hammers, tendo havido uma reunião entre as partes na segunda-feira. Porém, o técnico optou por renovar com o Shakhtar, clube que treina desde 2016, tendo sido bicampeão ucraniano.

A oficialização será feita em breve - a liga termina no sábado - e o técnico, de 45 anos, irá assinar um novo contrato de duas épocas, e pode receber cerca de 4 milhões de euros anuais.

Autor: Rafael Soares