O conto de fadas e o filme de terror

Hull City-Leicester abre a nova temporada

• Foto: Getty Images

Dificilmente a Premier League poderia ter melhor encontro de abertura do que o... Hull City-Leicester, amanhã pelas 12h30. Não só por estar em campo o campeão, com toda a expectativa que isso desperta, mas porque o adversário neste jogo de certa forma prolonga a tendência do campeonato inglês para proporcionar aos seus seguidores histórias verdadeiramente inacreditáveis. Para perceber melhor o que está em causa, o leitor deve concentrar-se por momentos no conto de fadas do Leicester em 2015/16 e logo de seguida tentar imaginar algo que seja a total... negação desse brilhantismo. Pois bem, é esse cenário negro que acompanha o Hull City no regresso à divisão de topo do futebol inglês, lugar que conquistou a 28 de maio, a expensas do Sheffield Wednesday, de Carlos Carvalhal. Para o Daily Mail, não há dúvidas: os Tigers "correm o risco de se tornarem na pior equipa da história na Premier League".

Estágio para nove

A situação começou a descambar quando a, 22 de julho, o técnico Steve Bruce deixou o clube, em desacordo com a direção e alegando falta de recursos no plantel. Incapazes de contratar Chris Coleman e Gianfranco Zola, os Tigres entregaram o comando a Mike Phelan, adjunto promovido a interino que estará no banco... pelo menos frente ao Leicester. Pelo meio, ainda assim, a equipa cumpriu um estágio na Áustria com... nove jogadores disponíveis para a fotografia de ‘grupo’.

O cenário continua a ser de devastação, fruto de uma onda de lesões: Phelan terá no máximo 13 jogadores aptos para a estreia, dos quais apenas um defesa-central sénior (Curtis Davies). Mohamed Diamé, médio senegalês que marcou o golo da subida, preferiu mudar-se para o Newcastle, no Championship, apesar de lhe ter sido oferecido novo contrato.

A sequência de eventos não estaria completa sem uma referência ao facto de a família Allam, proprietária do Hull City, ter aberto negociações para a venda do clube em maio, tendo decidido suspendê-las até setembro em nome da estabilidade durante o mercado de transferências. Ora, até ao momento, foi contratado nada mais nada menos do que... um reforço, um guarda-redes de 18 anos (Will Mannion).

Os interessados na compra do Hull são investidores norte-americanos e chineses, que entraram na corrida. Por estas e por outras, os adeptos planeiam protestos para amanhã no KCOM Stadium.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Inglaterra

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.