Guardiola lembra ataque em concerto e os minutos terríveis em que a mulher não atendeu

Filhas e mulher do técnico estavam no espectáculo de Ariana Grande

• Foto: Reuters

Em entrevista à BBC, Pep Guardiola revelou o pânico que sentiu minutos após os ataques terroristas na Manchester Arena, durante o concerto de Ariana Grande.

"Eu estava em casa com o meu filho, mas as minhas filhas e a minha mulher estavam lá. No fim de tudo tivemos sorte. Infelizmente houve várias pessoas que sofreram", contou o treinador.

"Ela ligou-me imediatamente, mas a linha foi abaixo. Ela disse: 'Alguma coisa aconteceu e estamos a fugir, mas não o que aconteceu' e a chamada caiu. Tentámos ligar de novo mas não resultou. Fomos logo para a Arena. Cinco ou seis minutos depois ela ligou a dizer: 'Conseguimos sair'".

A 22 de maio de 2017, uma dupla explosão no exterior da Manchester Arena provocou 22 mortos e dezenas de feridos, naquela que foi a primeira época de Pep Guardiola ao serviço dos citizens.

"Vou ser sempre um adepto do Manchester City e vai ser impossível treinar outra equipa em Inglaterra porque me sinto bastante acarinhado pelas pessoas daqui", revelou o técnico.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Man. City

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.