Rashford criticou ajuda do governo a famílias necessitadas... e Boris Johnson já lhe telefonou

Primeiro-ministro britânico garantiu que irá fiscalizar entregas de bens alimentares

Depois de Marcus Rashford se mostrar indignado com os cabazes que estão a ser entregues a famílias carenciadas e que substituem as refeições escolares que as crianças teriam direito a receber caso as escolas não tivessem encerradas -  o Reino Unido enfrenta um novo confinamento devido à pandemia covid-19 -, o primeiro-ministro britânico Boris Johnson ligou ao craque do Manchester United para garantir que irá fiscalizar as entregas e que nada faltará às famílias mais necessitadas.

"Acabei de ter uma boa conversa com o primeiro-ministro. Ele garantiu-me que está empenhado em corrigir o problema com as cestas de alimentos e que está em andamento uma revisão completa do respetivo fornecimento. Ele concordou que as imagens partilhadas no Twitter são inaceitáveis", escreveu Marcus Rashford, nas redes sociais... uma publicação que mereceu pronta resposta do Chefe de Estado britânico. "Cobcordo contigo, Rashford. Essas cestas de alimentos não correspondem aos padrões que estabelecemos e transmitimos à empresa envolvida que isso é vergonhoso. A empresa em questão desculpou-se e concordou em reembolsar as pessoas afetadas", pode ler-se.

Marcus Rashford, que em outubro lançou uma campanha contra a fome, intitulada de ‘AllkidsMatter’, depois de ter visto recusada a petição a solicitar que as crianças com dificuldades económicas tivessem direito a refeições gratuitas durante as férias escolares, demonstrou toda a sua indignação nas redes sociais ao publicar uma fotografia de uma das entregas do governo, onde se podia ver uma pequena quantidade de alimentos que se destinava a uma família inteira.

1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Man. United

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.