Yonghong Li pode ficar sem o Milan se não pagar 300 milhões até outubro

Fundo de investimento tem 'take over' planeado com a ajuda do chefe da International Champions Cup

Yonghong Li, nos camarotes do Giuseppe Meazza, tem até outubro para pagar 300 milhões mais juros ao Elliott Management
• Foto: EPA

O Milan poderá mudar de mãos a curto prazo, um ano depois da Rossoneri Sport Investment Lux do empresário chinês Yonghong Li ter negociado a compra com a Fininvest por 740 milhões de euros, parte dos quais foram financiados pelo fundo norte-americano Elliott Management.

O jornal 'La Reppublica' escreve que o Elliott Management estabeleceu um acordo com Charlie Stillitano, presidente-executivo da Relevent Sports, a empresa que organiza a International Champions Cup, para avançar com um 'take over' do Milan no caso de Yonghong Li falhar o prazo estabelecido para reembolsar 300 milhões de euros, mais juros. O empresário chinês tem até outubro para o fazer.

As notícias sobre problemas financeiros de Yonghong Li sucedem-se e estão mesmo na base de sanções decretadas pela UEFA ao abrigo da regulamentação do Fair Play Financeiro. O Milan recorde-se, informou a entidade que tutela o futebol europeu que o Elliott Management garante o apoio financeiro ao clube caso o proprietário se veja impedido de cumprir as suas obrigações - em abril do ano passado a UEFA já tinha rejeitado a proposta do Milan para um acordo precisamente por dúvidas em relação à situação financeira do homem de negócios chinês.

Sinais recentes sobre a possibilidade do Milan mudar de mãos foram dados por Silvio Berlusconi, o proprietário da Fininvest que vendeu o clube a meio de abril do ano passado. O multimionário italiano disse que estava disponível para comprar o clube.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Itália

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0