MLS: Seattle Sounders são os novos campeões

Toronto perde final em casa no desempate por penáltis

• Foto: MLS

Os Seattle Sounders são os novos campeões da MLS. A equipa que foi a todos os playoff desde a sua entrada na MLS, em 2009, conseguiu finalmente o título. Depois do pior arranque de época nos últimos anos, depois de trocar de treinador (algo pouco habitual na competição) e de perder a sua maior figura por lesão, Clint Dempsey, os verdes chegaram ao céu e conseguiram-no com o maior dramatismo: no campo do adversário e no desempate por penáltis.

Depois de Houston Dynamo (2006), Real Salt Lake (2009) e Sporting Kansas City (2013), os Seattle Sounders foram a quarta equipa a ganhar a final nos penáltis. Roman Torres, um defesa central parecido com o benfiquista Eliseu, capitão da seleção do Panamá, assumiu a responsabilidade e marcou o pontapé decisivo, depois de Justin Morrow acertar na trave. Na primeira série de cinco, Frei parou o remate de Bradley e Irwin defendeu o de Fernández, antigo jogador do Vitória de Setúbal.

Os Sounders são campeões quando menos se esperava, quando o Toronto de Giovinco era favorito, mas Seattle, a cidade dos Estados Unidos que mais gosta de futebol, que enche o estádio durante todo o ano, merecia há muito este título.

Com duas das melhores equipas da temporada em campo e com o BMO Field cheio - os 36 mil bilhetes venderam-se em apenas três minutos - a MLS Cup tinha tudo para ser um grande espetáculo mas acabou por não o ser e foi mesmo a primeira final de sempre a terminar 0-0. Mais estranho, com estrelas como Giovinco e Lodeiro e avançados como Altidore e Morris no relvado, acabaram por ser os dois 6, Bradley e Osvaldo, os melhores em campo nos 90 minutos.

Toronto conseguiu sempre anular as saídas de Seattle para o ataque e os verdes caíram em cima de Giovinco e Altidore mal os internacionais estadunidenses recebiam a bola. Lodeiro praticamente não teve bola durante a 1ª parte e Morris fez apenas uma das suas famosas arrancadas, sem sucesso.

Resultado: os Sounders não fizeram um único remate enquadrado com a baliza em 90 minutos. Toronto ainda o conseguiu mas os remates de Osorio (15') e de Altidore (30') foram fáceis para o guardião Frei. De resto, os vermelhos só assustaram o guardião suíço em duas ocasiões, um remate de Altidore, logo no segundo minuto do jogo, e outro de Giovinco às redes laterais (49').

Toronto pegou no jogo no início do prolongamento. O francês Benoit Cheyrou, que ajudara a desbloquear a final da Conferência Este, rematou ao lado logo aos 91 e tentou novamente a sorte aos 94 mas para defesa fácil de Frei. Seattle conseguiu sacudir a pressão, Lodeiro começou a ter bola mas perigo para a baliza da casa, nem vê-lo. Ricketts, outro suplente talismã, rendeu o esgotado Giovinco e foi o último a tentar a sorte mas o remate foi na direção do guarda-redes.

O internacional canadiano foi também o primeiro a ficar perto do golo na 2.ª parte do prolongamento, com um remate que passou a dois dedos do poste (107'). Logo a seguir, o grande momento da noite: cabeceamento de Altidore e Frei a fazer, provavelmente, a defesa da sua carreira. Um voo inacreditável para roubar um golo certo a Toronto.

Por Miguel Amaro
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Outros

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.