Paulo Pereira mantém o pragmatismo: «Há detalhes a melhorar»

Portugal melhorou em relação ao jogo com o Brasil mas técnico não entra em euforias

• Foto: Carlos Barroso

Portugal melhorou em relação ao jogo com o Brasil, com quem perdeu (28-34) no início do mês, após estágio muito físico na Nazaré. Mas o selecionador Paulo Pereira, após o triunfo sobre a Espanha, mantém o pragmatismo, pois o objetivo é ganhar uma medalha em Tóquio’2020.

"Não podemos ficar nem muito felizes, nem muito tristes com algo que nos aconteça. O dia seguinte é outro dia, e é preciso continuar. Neste espaço preparatório de grandes competições [torneio de andebol de Tóquio2020], é esse registo que temos de ter. Há sempre coisas para melhorar ou que podemos fazer de forma diferente. Há detalhes a que é preciso prestar mais atenção. É com essa intenção que trabalhamos sempre a cada dia.

É um sinal de maturação da equipa [a capacidade para reagir a três golos de desvantagem nos 20 minutos finais]. Aqui há uns anos, três golos de vantagem ou três golos de desvantagem eram motivo para nos dispersarmos e sairmos do plano de jogo. Servia para começarmos a facilitar quando as coisas pareciam teoricamente fáceis ou para começarmos a pôr as 'mãos na cabeça', a dizer que já perdemos. Nos últimos anos, quer pela seleção, quer pelos clubes, estes atletas foram submetidos a jogos de alta intensidade, em que há muita coisa em jogo. Todos vamos aprendendo a gerir essas emoções desses momentos.

Na primeira semana [de preparação], trabalhámos alguns fatores táticos, mas, nesta semana, para além de não deixarmos de trabalhar fatores físicos, dedicámos mais atenção à questão do jogo, àquilo que íamos encontrar, ao [sistema] 5x1 contra o qual tivemos dificuldades no jogo com o Brasil. Acrescentámos alguns detalhes aos movimentos que já temos, acrescentámos algum movimento novo. Isto agora é fruto do trabalho que vamos construindo.

Hoje, foi mais fácil jogar contra um 5x1. A Espanha tem um 5x1 fortíssimo. Não podemos esquecer que ganhou o último campeonato da Europa [em 2020] com este formato. Conseguimos, na maior parte dos ataques, destruir o sistema. Mas eles vão trabalhar para nos tentar ganhar no próximo jogo [no sábado]. Quanto a nós, vamos tentar corrigir alguns detalhes".

O primeira linha e arquiteto do sete contra seis de Portugal, Fábio Magalhães, também sabe que os Heróis do Mar ainda não ganharam nada em grandes provas internacionais, pelo que a palavra de ordem é trabalho e foco até aos Jogos Olímpicos: “Ganhar a uma equipa como Espanha não é todos os dia, pois é a atual campeã europeia em título. Ficam boas sensações, mas não podemos relaxar ao abrigo deste resultado.”

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Andebol

Notícias

Notícias Mais Vistas