Antigo treinador de Mo Farah suspenso quatro anos por incitação ao doping

Alberto Salazar acusado de traficar testosterona e de ter administrado substâncias proibidas a atletas

Técnico mundialmente conhecido por ter orientado alguns dos melhores atletas da última década, entre os quais o britânico Mo Farah (treinou-o entre 2011 e 2017), o norte-americano Alberto Salazar foi esta terça-feira suspenso por quatro anos pela entidade antidopagem norte-americana (USADA), devido a "múltiplas violações dos regulamentos anti-doping".

De acordo com a USADA, Salazar e o médico Jeffrey Brown estão acusados de terem traficado testosterona, adulterado o processo de controlos antidoping e de terem administrado substâncias proibidas através da via intravenosa, isto depois de vários antigos atletas do Nike Oregon Project terem "tido a coragem para falar e expor a verdade".

"Enquanto trabalhavam com o Nike Oregon Project, o Sr. Salazar e o Dr. Brown demonstraram que ganhar era mais importante do que a saúde e bem-estar dos atletas que prometeram proteger", pode ler-se no comunicado emitido.

Salazar "chocado" com decisão e Farah diz-se aliviado

Em comunicado, Salazar assumiu estar surpreendido e prometeu recorrer ao Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) para tentar travar a suspensão. "Estou chocado com esta decisão. Ao longo desta investigação de seis anos aos meus atletas e a mim mesmo, fui tratado de forma injusta, pouco ética e com muitos danos para a minha reputação. O Oregon Project nunca permitiu nem permitirá o doping. Vou apelar e estou confiante de que se irá chegar à verdade", declarou o técnico, que com esta decisão deixará de ter acesso ao Khalifa International Stadium, palco dos Mundiais de Doha, onde vários dos seus atletas estão a competir.

Já Mo Farah, o nome mais emblemático que foi orientado por Salazar, assumiu-se aliviado pela conclusão da investigação. "Deixei o Nike Oregon Project em 2017, mas tenho tolerânica zero para todos aqueles que quebram as regras", declarou o britânico.

De referir que a Nike também já reagiu, deixando claro que "nada tem a ver com a administração de substâncias proibidas a qualquer atleta do Oregon Project". "Apoiámos o Alberto na sua decisão de recorrer e desejámos que tudo seja esclarecido. A Nike não apoia o uso de substâncias dopantes de maneira alguma", acrescenta a marca em comunicado.

Além de Farah, Salazar treinou vários nomes de topo do atletismo, destacando-se aqueles com os quais trabalha atualmente, nomeadamente o maratonista norte-americana Galen Rupp, a holandesa Sifan Hassan (recentemente campeã do Mundo dos 10000 metros) ou Yomif Kejelcha, atleta que em março bateu o recorde mundial indoor da milha.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Atletismo

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.