Nacionais de luxo

Os campeonatos de Portugal, em Pombal, prometem com 5 atletas entre a elite europeia

Amanhã à tarde, a partir das 17h45, o sportinguista Nelson Évora inicia a corrida de balanço na tentativa de conquistar o sétimo título de campeão nacional no triplo salto, em Pombal. É claramente o favorito e há uma pequena curiosidade em redor do regresso do medalha de ouro nos Jogos de Pequim em 2008.

É que Nelson, de 32 anos, pode ser campeão em representação dos 3 grandes clubes nacionais. A primeira vez que subiu ao 1º lugar do pódio foi em 2003 (16,34 metros) com a camisola do FC Porto e depois foi campeão pelo Benfica em 2006 (16,28), 2007 (16,61), 2008 (16,89, o melhor registo nos nacionais), 2015 (16,63) e 2016 (16,64). A boa marca feita em França, com uma vitória e 16,57 metros, deixam no ar uma grande expectativa para o Europeu em Belgrado (3 a 5 de março). Para já, é o 4º europeu do ano no ranking em pista coberta

No domingo, por seu lado, será a vez de o Sporting apresentar uma atleta da primeira linha. Trata-se de Patrícia Mamona que é a 2ª europeia em 2017 no triplo salto com o registo de 14,11 metros feitos em Dusseldorf, no início deste mês.

Regular acima dos 14 metros, Patrícia encontra-se mais confiante em competição, fruto do 6º lugar nos Jogos Olímpicos. A benfiquista Susana Costa confere um estatuto de qualidade internacional a este concurso com 13,94 metros, sendo a 6ª na Europa.

Nelson Évora e Patrícia Mamona estão na linha da frente nestes Nacionais de luxo. Portugal tem 5 atletas com mínimos no top 10 europeu e há dois sectores em particular destaque: os saltos e lançamentos. Os pesistas do Benfica, Tsanko Arnaudov (20,53 metros) e Francisco Belo (20,35 metros) figuram no 8º e 10º lugar na lista de 2017. Pela primeira vez, Portugal leva dois lançadores de peso a um Europeu de pista coberta.

Oito atletas integram a representação para Belgrado, mas Marcos Chuva ainda poderá juntar-se à equipa no comprimento. Os mínimos terminam dia 26.

Marta tenta mínimos nos EUA

A residir nos Estados Unidos, a benfiquista Marta Pen foi dispensada dos Campeonatos de Portugal em Pombal, mas continua na corrida para a obtenção de mínimos para o Europeu em Belgrado. A fundiste correu há uma semana, em Boston, os 3.000 metros em 9.15,0 minutos (19ª marca europeia em 2017) e poderá baixar esta marca. Sefizer o registo de 9.10,0 minutos, a benfiquista garante o passaporte para o Europeu.

Em princípio, Marta Pen irá competir no fim de semana num meeting em Nova Iorque para tentar o mínimo.

Técnicos debatem crise de meio-fundo

O facto de apenas um fundista, Emanuel Rolim, figura na lista dos atletas com mínimos para o Europeu tem preocupado o diretor técnico nacional, José Santos, e nesse sentido o responsável já teve várias reuniões com outros colegas para debater a situação. "Isso não é uma coisa de hoje, nem de ontem. Mas acredito que todos nós podemos melhorar a situação", referiu o responsável máximo na área técnica, que valoriza as potencialidades de algumas jovens promessas. A olímpica Marta Pen é o caso mais mediático entre a nova geração.

Por Norberto Santos
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Atletismo

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.