Presidente do Comité Olímpico Internacional diz que 'caso Salazar' é "preocupante"

Treinador de Mo Farah até 2017 foi suspenso por quatro anos

O presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, disse esta quinta-feira que o caso de doping envolvendo o treinador Alberto Salazar "é muito preocupante" e levanta questões sobre a legitimidades de resultados olímpicos no atletismo.

"O caso levanta preocupações sérias", comentou Bach, que não identificou nenhum atleta que podem estar implicados na investigação a decorrer sobre o treinador norte-americano.

Alberto Salazar, treinador do britânico Mo Farah até 2017, foi suspenso por quatro anos por "incitação ao doping" na terça-feira pela Agência Norte-americana Antidopagem (USADA).

Em comunicado, a USADA refere que Alberto Salazar, de 61 anos, foi suspenso "por organizar e instigar uma conduta de doping", acusando o ex-maratonista de ter traficado testosterona e injetado nos atletas o aminoácido L-carnitina acima das doses autorizadas.

Alberto Salazar é o mentor do projeto Oregon, um grupo de treino de alto nível financiado pela Nike e que tem obtido excelentes resultados no fundo e meio fundo.

Salazar, protagonista de várias controvérsias devido ao facto de trabalhar sempre nos limites, negou qualquer envolvimento com doping e anunciou que vai recorrer da decisão.

A Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) retirou a acreditação de Alberto Salazar para os Mundiais de atletismo, que decorrem em Doha, a pedido da federação norte-americana.

O britânico Mo Farah, detentor de quatro títulos olímpicos e seis mundiais, integrou o projeto entre 2011 e 2017, juntamente com outros atletas medalhados em Jogos Olímpicos.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Atletismo

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.