Roubo, agressões e chantagem: a polémica que opõe Mo Farah e Haile Gebrselassie

Episódios em hotel na Etiópia no centro da guerra entre campeões

Mo Farah e Haile Gebrselassie são dois nomes sonantes do atletismo mundial mas desta vez são notícia não por causa de uma prova, mas sim por episódios que decorreram num hotel na Etiópia, com roubos, agressões e chantagem à mistura.

Mo Farah, que estava hospedado num estabelecimento da cadeia de hotéis de Haile Gebrselassie, denunciou um roubo, acusando o antigo atleta etíope de responsável, uma vez que é o proprietário da hotel. Já a versão de Haile Gebrselassie é diferente, acusando o campeão britânico de agredir um casal que estava frequentar o ginásio.

Segundo Mo Farah, no dia 23 de março, saiu para treinar e quando regressou aprecebeu-se que tinha sido alvo que um roubo: dinheiro, no valor de quase 2 mil euros, dois telemóveis e um relógio Tag Heuer, uma prenda de aniversário. 

"O roubo aconteceu no meu aniversário. Nesse dia, fui correr com os meus companheiros de equipa eram 5h30 e deixei a chave na receção do hotel para que pudessem limpar. Quando cheguei às 16h30 notei que tinha a mala aberta. Pensei: 'porra, deixei mala aberta ', mas depois vi que estava fechada e que alguém a tinha forçado. Alguém foi buscar a chave à receção e roubou-me dinheiro, dois telefones e o relógio que a minha mulher me tinha oferecido. Tinha um grande valor sentimental e não pode ser substituído", relatou Mo Farah, afirmando-se "desapontado com Haile",  "É o proprietário do hotel e quando se está três meses num hotel é muito dececionante conhecer alguém e não ter qualquer tipo de apoio", referiu o britânico.

Já a história de Haile é outra: o antigo maratonista denunciou à BBC uma tentativa de "chantagem" de Mo Farah, acusando ainda o britânico de agredir um casal.

De acordo com Haile Gebrselassie, "os hóspedes são convidados a guardar valores elevados no cofre", mas Mo Farah terá preferido economizar. O antigo atleta etíope refere ainda que o roubo foi denunciado que aberta uma investigação, mas que os cinco funcionários do hotel foram ilibados.

Haile Gebrselassie refere ainda que Mo Farah usufruiu de um desconto de 50%, mas que ainda tem de pagar cerca de 2.500 euros. "Estou muito triste, muito chateado. Eu gostava dele mas está a tentar denegrir o meu nome", afirmou Haile Gebrselassie contando depois um outro episódio de violência: "Mo Farah agrediu um casal no ginásio. 'Estão-me a seguir porquê?', questionou. Eles responderam que não estavam e imediatamente Farah atacou-os ao murro e pontapé. Só não fizeram queixa por que intervi, mas há muitas testemunhas", relatou.

Uma história com dois dos maiores nomes do atletismo mundial que promete ainda dar muito que falar.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Atletismo

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.