Morreu António Barros

Basquetebol perde uma referência

PUB

O jornalista António Barros faleceu esta segunda-feira aos 56 anos, no Hospital de Santa Maria (Lisboa), vítima de um acidente vascular cerebral, que se manifestou num dos momentos em que cumpria a sua missão, junto dos recentes trabalhos da Seleção Nacional de basquetebol, que decorreram no Pavilhão do Casal Vistoso, em Lisboa.

Foi umas das referências naquilo que diz respeito à cobertura noticiosa desta modalidade nas últimas duas décadas, tendo sido jornalista de Record, ‘A Capital’ e ‘24 Horas’, entre outros órgãos de informação desportiva.

Ultimamente, trabalhava como freelancer, colaborando com ‘A Bola’ e a agência Lusa, também em outras modalidades desportivas, inclusivamente o futebol.
A sua ligação ao desporto também se estendeu à competição e ao que mais amava, o basquetebol, tendo representado o Benfica na década de 80.

Sagrou-se campeão na temporada 1984/85 com as águias e conviveu de perto com Carlos Lisboa, ainda hoje a maior referência do basquetebol em Portugal.

Com bastante sentido crítico, mas competente e responsável, António Barros deixa um legado difícil de preencher, como profissional, respeitado pelos diversos agentes, e como amigo, com quem convivemos ao longo destes muitos anos de camaradagem.
As cerimónias fúnebres realizam-se a partir de hoje. O velório do corpo de António Barros vai estar ao final da tarde na Igreja Matriz da Cova da Piedade, e o funeral está marcado para amanhã, a partir das 14h30, no cemitério Vale das Flores, em Almada.

À família enlutada e amigos de António Barros, Record apresenta sentidas condolências.

Por Alexandre Reis
Deixe o seu comentário
PUB