Antigo basquetebolista espanhol recorda depressão: «Ou treinava ou atirava-me de uma ponte»

Santi Abad recorda momentos difíceis e não esconde que o suicídio chegou a passar-lhe pela cabeça

Santi Abad, antigo basquetebolista espanhol que passou por clubes como Barcelona e Real Madrid, deu uma entrevista ao jornal 'El Mundo' em que recordou a depressão profunda por que passou enquanto jogava e não tem pudor em afirmar que o basquetebol "arruinou" a sua vida.

"Nos anos 80 eu era o jogador com mais capacidades técnicas e físicas do basquetebol espanhol. Não passei por escalões de formação, em três anos era profisional. Foi tudo muito rápido", recorda Santi Abad, hoje com 50 anos.

"Eu era o futuro da Espanha, a grande promessa. Tudo era exigência, não havia descanso. As coisas não eram como hoje. O basquetebol na altura estava dominado pelos veteranos, pelos clubes e pelos treinadores, jogadores como eu não tinham muitas hipóteses. O nível de exigência era brutal, eu era um tipo com caráter mas eles quebraram-me. Hoje chamar-se-ia ao que sofri bullying ou mobbing. Senti-me maltratado no desporto profissional", recorda.

A pressão para jogar e ser cada vez melhor fê-lo cair numa depressão. "O basquetebol arruinou a minha vida", reconhece, admitindo que não deixou a modalidade porque "não tinha outra coisa para fazer". "Ou treinava ou atirava-me de uma ponte".

A situação agudizou-se. "Ia para casa a chorar todos os dias. Marcava 20 pontos e chorava na mesma. Um dia pedi ajuda ao traumatologista da equipa, ele falou com o treinador e com o clube. Em dois dias a imprensa soube e o treinador aproveitou para justificar as suas críticas relativamente a mim. 'Vejam, o Santi está louco...'. Não voltei a pedir ajuda."

O suicídio chegou a passar-lhe pela cabeça. "Pensei no que aconteceria se o fizesse mas nunca ponderei verdadeiramente essa opção. Eu não queria sair da cama, tinha stress, ansiedade, não dormia, não tinha vontade de viver. A minha vida era uma m... Dormia três ou quatro horas, mas era uma força da natureza. Era capaz de não dormir e no dia seguinte jogar como uma besta."

Abad não tem dúvidas que há muitos jogadores na Liga ACB, na Asolabal, na 1.ª Divisão que estão a passar por depressões. "Tenho a certeza disso. Eu posso contar, eles não."

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Basquetebol

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.