FC Porto e Benfica em novo duelo

Dragões e águias voltam a liderar a bolsa de apostas no arranque da edição 2016/17 da Liga

• Foto: José Ponteira

Na apresentação da última edição da Liga Portuguesa de Basquetebol (LPB) escrevemos que o Benfica não se apresentava como único candidato, como tinha acontecido nas três edições anteriores, porque o FC Porto estava de regresso à principal competição nacional. E foi o que acabou por acontecer. O FC Porto conquistou o título derrotando, precisamente, o até então tetracampeão nacional na final do playoff, repetindo o feito alcançado em 2010/11.

Na edição 2016/2017 que amanhã se inicia, as duas formações voltam a reunir a maior dose de favoritismo face às restantes 10 equipas concorrentes – a Liga volta a ser disputada por 12 clubes.

No FC Porto são quatro as novidades. Miguel Miranda, um regresso a um clube onde já conquistou vários títulos, o internacional cabo-verdiano Jeffrey Xavier, João Grosso e o poste que se destacou na última temporada no Lusitânia, Sasa Borovnjak são os novos jogadores que integram a formação azul e branca. De saída estão Albert Fontet, Arnette Hallman, Steh Hinrichs, Troy DeVries, António Monteiro e José Miranda. Moncho López continua a contar com muitos jogadores que chegaram ao título nacional, Brad Tinsley, André Bessa, Pedro Bastos, José Silva, Miguel Queiroz, João Gallina, Ferran Ventura e Nick Washburn.

‘Revolução’

O Benfica, por seu lado, protagonizou a maior revolução no seu plantel. A saída de alguns jogadores que fizeram história, como Diogo Carreira – hoje com outras funções no clube –, Frederick Gentry, Cláudio Fonseca, Carlos Ferreirinho, Daequan Cook, Jeremiah Wilson, foram substituídos por Carlos Morais, Derek Raivio, Damian Hollis, Raven Barber e Nicolas Santos. Carlos Lisboa promoveu três juniores, nomeadamente Velkjo Stankovic, Sérgio Silva e Ricardo Monteiro, numa aposta na sua formação. A juntar às ‘mexidas’ no plantel, o Benfica também reforçou a equipa técnica, que continua a ser liderada por Carlos Lisboa mas, agora, coadjuvado por Nuno Ferreira e Carlos Seixas e manteve os internacionais Carlos Andrade, Mário Fernandes, Tomás Barroso, João Soares, Nuno Oliveira e, ainda, Marko Loncovic.

Dois plantéis que já deram provas da sua qualidade, não só na fase de qualificação para a nova Liga dos Campeões, onde as duas equipas, apesar de eliminadas, realizaram exibições muito positivas, como na recente Supertaça, em Vila Real, onde o FC Porto, mais uma vez, levou a melhor sobre o seu rival (84-70).

Oposição

Benfica e FC Porto não vão jogar sozinhos. Numa segunda linha surgem equipas que habitualmente se intrometem na luta pelos primeiros lugares, como os históricos V. Guimarães, Ovarense, CAB Madeira e Oliveirense, juntando-se ainda o Galitos FC, o qual já deixou excelentes indicações nesta pré-época.

Maia Basket, Lusitânia, Illiabum, Sampaense e Eléctrico FC fecham a grelha de partida desta Liga, todos eles com um objetivo claro: a manutenção.

Por Vítor Ventura
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Basquetebol

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.