Paulo Simão: «Gostava de ser profissional»

Internacional mais de 150 vezes, é agora um treinador agradecido e ambicioso

• Foto: Filipe Farinha

Exímio lançador, Paulo Simão deixou de jogar há dez anos, após ter representado a Seleção mais de 150 vezes e de ter conquistado quatro títulos nacionais (três pela Portugal Telecom e um pelo Estrelas da Avenida). Depois de um período de afastamento regressou à modalidade como técnico. Já lá vão cinco anos, trabalhando, hoje em dia, no CB Queluz, ao lado de Ivan Kostourkov. Na Festa surge ao leme dos sub-16 de Lisboa e, claro, espera poder ganhar, embora assuma que lhe era fácil apresentar uma equipa ainda mais competitiva. Porém, o objetivo é potenciar jovens que possam, futuramente, ajudar as seleções.

"Quero mostrar ao selecionadores que esta equipa tem matéria-prima para o futuro. Podia ter aqui outros atletas que ajudariam a equipa a ser mais competitiva, mas estou a tentar olhar mais para a frente. A minha experiência enquanto jogador faz com que tenha de pensar desta forma", explica.

Ser profissional, também como treinador, é algo que o motiva. "Gostava, nomeadamente, de poder competir a nível internacional ou nas seleções. É isso que mais me entusiasma, embora esteja feliz no CB Queluz", diz, acrescentando o porquê de ter iniciado a aventura como técnico. "A modalidade estava numa fase de grande debilidade e senti necessidade de dar de volta tudo o que ela me tinha dado. Até um curso o basquetebol me ajudou a tirar...", recorda.

Calmo no banco, como era em campo – "nunca levei uma falta técnica" –, Simão diz que ganhou maior admiração entre os jovens pupilos quando eles descobriram um vídeo seu no youTube. "É verdade. Foi uma final contra a Oliveirense, com 6/7 mil pessoas nas bancadas. Hoje já sabem que defrontei Tony Parker ou Pau Gasol", atira, sorridente, garantindo quer ajudar os miúdos "a sonhar".

Candidatos seguem na luta

Depois do primeiro dia de competição, as quatro associações tradicionalmente mais fortes (Porto, Lisboa, Aveiro e Setúbal) asseguraram a qualificação para as fases de discussão do título, embora nenhuma conte por vitórias os oito jogos realizados nos vários escalões. Em alta, igualmente, está o Algarve, que só não está na corrida nos sub-14 femininos. De resto, Madeira e Coimbra atingiram dois apuramentos, enquanto Braga segue em frente nos sub-14 masculinos. Hoje, a luta promete começar a ser ainda mais decisiva...

Por Luís Avelãs
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Basquetebol

Resultados

Todos os números da competição na época 2020/21

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.