Selecionador nacional feminino acredita no apuramento para o Europeu

Técnico pede que o "deixem sonhar"

• Foto: Luís Vieira

O selecionador nacional de basquetebol feminino, Ricardo Vasconcelos, disse esta quinta-feira que o apuramento para a fase final do Euro'2017, na República Checa, "é difícil, mas não impossível", a dois dias de visitar a Hungria.

Faltam apenas dois jogos para a seleção feminina concluir a campanha na fase de qualificação do grupo E do Eurobasket, seguindo-se agora a equipa magiar, na cidade de Pécs, uma adversária que Ricardo Vasconcelos admite ser "claramente favorita".

"A Hungria é claramente favorita, pois possui uma seleção mais forte fisicamente e experiente do que a nossa, enquanto a Islândia se aproxima mais do nosso nível, até em termos de estilo de jogo", disse à agência Lusa Ricardo Vasconcelos.

Portugal defronta no sábado a Hungria na cidade de Pécs, seguindo-se a Islândia, no dia 23, naquela que é a sexta e última jornada do grupo E, atualmente liderado pela Eslováquia, com sete pontos, e no qual a equipa das quinas ocupa a quarta e última posição, com cinco.

"Se nos quisermos qualificar, teremos obrigatoriamente de vencer os dois jogos que nos faltam. E de bater a Hungria por uma margem de 17 pontos", frisou selecionador nacional, que não abdica de sonhar com o apuramento.

Passam à fase final do Europeu, que se realiza entre 15 e 25 de junho do próximo ano na República Checa, os primeiros classificados de cada uma das séries, mais os seis melhores segundos dos nove grupos, o que perfaz um total de 15 seleções apuradas.

"Deixem-nos sonhar. O apuramento é difícil, mas não impossível", insiste Ricardo Vasconcelos, enaltecendo o carácter das suas jogadoras.

"Demonstram um empenho nos treinos e um espírito de grupo excecional. Tenho é pouco tempo para trabalhar com estas atletas. Até partirmos para a Hungria, apenas conseguimos realizar cinco treinos, o que é muito curto", vincou o selecionador.

Ricardo Vasconcelos lamentou ainda o facto de não poder contar com as basquetebolistas lusas que jogam e estudam em universidades norte-americanas, como são os casos de Laura Ferreira, Chelsea Guimarães, Joana Soeiro e Maria Kostourkova, entre outras das mais cotadas atletas nacionais.

"Esta alteração de calendário imposta pela FIBA Mundial beneficia claramente as seleções compostas por atletas mais experientes e que não necessitam de muito tempo de estágios para prepararem os embates. Não é o caso da jovem seleção de Portugal", constatou o selecionador nacional.

Relativamente às 14 convocadas que estão a estagiar em Ílhavo, a extremo Josephine Filipe, da Quinta dos Lombos, chegou ao local da concentração já lesionada, não devendo recuperar a tempo para cumprir os dois jogos que faltam para concluir a fase de qualificação, que arrancou há cerca de um ano - no dia 21 de novembro de 2015 - e tem vindo a disputar-se a conta-gotas.

Lista de convocadas:

Bases: Catarina Neves (CREF, Espanha), Inês Faustino (União Sportiva), Inês Viana (Benfica) e Filipa Bernardeco (CAB Madeira).

Extremos: Daniela Domingues (Vagos), Carolina Escórcio (Quinta dos Lombos), Joana Canastra (Vagos), Marcy Gonçalves (Quinta dos Lombos), Maria Correia (CREF, Espanha), Rosinha Rosário (CAB Madeira) e Josephine Filipe (Quinta dos Lombos).

Postes: Lavínia Silva (Virtus Cagliari, Itália), Sofia Silva (Girona, Espanha) e Luiana Livulo (Cadi La Seu, Espanha).

Classificação do grupo E

Posição J V D PM-PS Pts

1. Eslováquia 4 3 1 256-197 7
2. Hungria 4 3 1 281-251 7
3. Islândia 4 1 3 248-289 5
4. Portugal 4 1 3 195-243 5

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Basquetebol

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.