Dormir em aviões ou confiar nas camas de hotéis: a estratégia da NBA para contornar "flagelo"

Artigo da ESPN explica as consequências da privação do sono nos jogadores

A NBA é acompanhada por milhões de pessoas em todo o mundo e a própria organização da competição faz com que seja encarada como um verdadeiro espetáculo. Pavilhões com excelentes condições, equipas competitivas e muita emoção em cada jogo são ingredientes que fazem parte, mas existe um problema que, em breve, pode vir a afetar seriamente os jogadores, os principais protagonistas: a privação de sono, um transtorno que acompanha as equipas em toda a temporada. A saúde dos jogadores é uma das principais preocupações da liga norte-americana de basquetebol, até pelo facto de isso poder prejudicar o próprio espetáculo. "Dormir bem pode fazer a diferença entre fazer o melhor jogo da carreira ou uma exibição horrível", disse Hassan Whiteside num artigo da ESPN, reproduzido pelo jornal espanhol 'As'.

A acumulação de jogos e as constantes trocas de fusos horários é um duro obstáculo para os atletas. Para se ter uma ideia, disputam-se 82 encontros em seis meses e as estrelas da NBA percorrem qualquer coisa como 80 mil quilómetros por ano, o suficiente para dar a volta ao mundo quase duas vezes. As equipas competem, em média, a cada dois dias e os jogadores são 'obrigados' a dormir nos aviões, a confiar que as camas dos hotéis são boas ou até mesmo tomarem melatonina, uma substância que regula o ciclo do sono. Ou seja, muitos estratagemas para conseguirem descansar. Os especialistas afirmam mesmo que este é o "maior flagelo" da NBA.

Ciente disso, a liga tem tentado reverter a situação (mudou o calendário, oferece melhores condições de voo, acompanha de perto a saúde mental dos atletas...), mas a privação do sono continua "sem solução". "Daqui a uns anos, a privação do sono será um problema tão sério como as comoções cerebrais na NFL [Liga de Futebol Americano]", afirmou o basquetebolista dos Philadelphia 76ers, Tobias Harris, que também participou neste artigo da ESPN.

Timothy Royer, especialista em rendimento desportivo e neuropsicólogo (pertence à equipa técnica dos Memphis Grizzlies), também deixou uma ideia bem... explícita. "Nenhuma empresa no mundo muda os turnos dos seus trabalhadores como faz a NBA", afirmou.

A NBA arranca no próximo dia 22, com os campeões Toronto Raptors a receberem os New Orleans Pelicans. No mesmo dia está agendado ainda um duelo entre equipas de Los Angeles, com os Lakers de Lebron James a visitarem os Clippers de Kawhi Leonard.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de NBA

Resultados

Todos os números da competição na época 2019/20

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.