Mundial de maratonas: Júnior Leonardo Vicente quarto classificado em C1

Húngaro Dávid Hodován arrecadou o ouro

• Foto: Federação Portuguesa de Canoagem
PUB

O júnior Leonardo Vicente foi esta quinta-feira o melhor canoísta português no arranque dos mundiais de maratonas, com o quarto lugar na prova de C1 na Vila de Prado, em Vila Verde, Braga.

O jovem canoísta, que era a maior esperança do dia para medalha lusa, concluiu os 19 quilómetros de prova em 1:41.05 horas, a 1.03 minutos do ouro do húngaro Dávid Hodován, que bateu o francês Leo Dunilac por 18,3 segundos e o polaco Adrian Klos por 28,68.

Na mesma prova, Luís Varajão foi nono, a 08.3,1 minutos na regata em que 13 atletas cortaram a meta.

No setor feminino, Ana Rodrigues foi oitava, cumprindo os 11,8 quilómetros em 1:12.06 horas, a 4.40 minutos da vencedora, a canadiana Marlee Macintosh, que se superiorizou à polaca Adrianna Antos, segunda a 30,62 segundos, e à ucraniana Mariia Honcharova, terceira a 53,17.

Apenas 13 canoístas chegaram à meta, uma das quais Cláudia Araújo, no 10.º lugar, a 7.17 minutos da vencedora.

Em K1 juniores, Tiago Henriques foi sétimo ao concluir os 22,60 quilómetros em 1:43.02, a 3.40 minutos do norueguês Thorbjon Rask, mais rápido 38,49 segundos do que o irlandês Ronan Foley e 40,40 do que o húngaro Vince Petró. Bernando Santos chegou em nono entre os 21 que concluíram a prova, a 4.13.

Na prova feminina de K1, Maria Gomes foi 11.ª, chegando ao fim dos 19 quilómetros em 1:37.41, a 3.02 da húngara Zsóka Csikós, que bateu ao 'sprint' a compatriota Dorina Fekete, por 1,2 segundos, com a britânica Emma Russel a completar o pódio, a 8,22.

Esta regata foi cumprida por 22 canoístas, incluindo Ana Silva, que foi penúltima, a 8.17 minutos.

Na única regata sub-23 do dia, Nara Varela e Ana Nogueira foram 10.ª e 11.ª, respetivamente, a 11.55 e 15.04, respetivamente, da húngara Zsófia Voros, mais rápida 13 segundos do que a compatriota Lili Katona e 2.57,69 do que a britânica Samantha Rees-Clack.

No sábado, o pentacampeão da Europa de K1, José Ramalho, vai tentar um inédito título mundial, depois de já ter conquistado três medalhas de bronze e uma de prata.

Por Lusa
Deixe o seu comentário
PUB