Federação faz "balanço muito positivo" da estreia nos Mundiais de canoagem

Ricardo Machado, vice-presidente do organismo, diz que resultados estão "dentro das expectativas"

O vice-presidente da Federação Portuguesa de Canoagem, Ricardo Machado, fez esta quinta-feira um "balanço muito positivo" da estreia da seleção nos Mundiais, com o apuramento para quatro finais e três semifinais em Copenhaga.

"Tivemos um conjunto de resultados dentro das nossas expectativas, destacando-se três qualificações diretas para as finais. Estamos satisfeitos com o primeiro dia, correu como estávamos à espera", disse o dirigente, à Lusa.

Fernando Pimenta em K1 1.000 metros, Francisca Laia e Maria Rei em K2 200 metros, bem com Norberto Mourão em VL2 e Alex Santos em KL1, na paracanoagem, foram as embarcações bem-sucedidas e que já asseguram um lugar na regata das medalhas.

"Acredito, pela qualidade dos nossos atletas, que são candidatos às medalhas, sobretudo o Fernando Pimenta e o Norberto Mourão, que foram medalhas de bronze nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, respetivamente", concretizou.

Ricardo Machado prefere não estabelecer metas de pódios nestes "Mundiais atípicos, inéditos em ano de Jogos Olímpicos", preferindo destacar "a qualidade e vontade dos canoístas em representar Portugal da melhor forma possível".

"Ainda por cima, alguns atletas decidiram não vir, terminando a época mais cedo, pelo que nestes Mundiais temos uma equipa renovada, com alguns valores a estrear-se", acrescentou.

Em relação a Tóquio'2020, Emanuel Silva e David Varela, desgastados, pediram para terminar a temporada, pelo que foram substituídos no K4 500 por Kevin Santos e Ruben Boas, que se juntaram a João Ribeiro e Messias Baptista.

Joana Vasconcelos está grávida e também não é opção em Copenhaga, onde se estreia igualmente Maria Rei em Mundiais seniores.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

Ultimas de Canoagem

Notícias

Notícias Mais Vistas