Federação Portuguesa de Canoagem prorroga mandato até 2021 para acompanhar ciclo olímpico

Adiando as eleições para o após os Jogos Olímpicos Tóquio'2020

Vítor Félix, presidente da FPC
Vítor Félix, presidente da FPC

A equipa diretiva da Federação Portuguesa de Canoagem (FPC) viu o seu mandato prorrogado por um ano em assembleia geral, adiando as eleições para o após Tóquio'2020 e assim continuar a acompanhar o ciclo olímpico.

"Apesar de reconhecer que existe uma forte unanimidade em torno desta direção, queremos ser avaliados pela participação nos Jogos Olímpicos", justificou à Lusa o presidente da FPC, Vítor Félix.

Os Jogos Olímpicos Tóquio2020 foram adiados para o verão de 2021, devido à pandemia de covid-19.

Em conselho de ministros ficou estipulado que os atuais mandatos de federações desportivas poderiam ser prolongados, tendo sido alterado o seu regime jurídico, mas algumas pensam cumprir a tradição quadrienal e ir a votos em 2020.

"Entendemos que só a solução que adotámos faz sentido, para garantir a estabilidade e a tranquilidade na preparação e participação nos Jogos Olímpicos de Tóquio", reforçou o dirigente.

Esta opção mereceu "48 votos a favor e duas abstenções", numa assembleia geral "histórica pelo facto de ter sido por videoconferência e por ter sido a mais participada de sempre, sem contar com as assembleias eleitorais".

"Sabemos que a fasquia da modalidade é elevada, pelo que a avaliação deste mandato deve ser feita pela nossa participação, se bem que o reconhecimento dos clubes pelo bom trabalho que tem sido feito neste ciclo Olímpico é evidente, pela votação em maioria e pelas mensagens de apoio que temos recebido pela continuidade", completou.

Paralelamente, foram aprovados os relatórios e contas de 2019 e o plano de atividades para 2020, que, para já, não contempla provas internacionais, devido à pandemia de covid-19.

"Aguardamos decisões da federação internacional de canoagem (ICF) para perceber se vai haver alguma competição", informou Vítor Félix.

Os nacionais de canoagem estão previstos para 15 de agosto em Montemor-o-Velho, com a FPC a "preparar um plano de contingência para a retoma da atividade desportiva competitiva em julho", sendo que a mesma "carece do parecer e orientações do IPDJ e da Direção-Geral da Saúde".

Após a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas de quase todas as modalidades foram disputadas sem público, adiadas -- Jogos Olímpicos Tóquio2020, Euro2020 e Copa América -, suspensas, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais, ou mesmo canceladas.

Os Jogos Olímpicos Tóquio2020 foram adiados para o verão de 2021.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 316.000 mortos e infetou mais de 4,7 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 1,7 milhões de doentes foram considerados curados.

Por Lusa

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Canoagem

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0