Hoppe responde com factos às críticas de Teresa Portela

Treinador polaco não gostou de ouvir a canoísta do Benfica a dizer que “já se perdeu um ano para Tóquio’2020”

• Foto: João Abreu Miranda/Lusa

Ryszard Hoppe está prestes a cessar funções como técnico da Federação (FPC), ao fim de 13 anos de ligação, mas não quer regressar à Polónia sem colocar os pontos nos ii quanto ao que disse Teresa Portela, atleta que trabalhou com ele até aos Jogos de Londres’2012, e no último ano. O treinador não gostou que tivesse dito que "chegou a altura de evoluir, até porque os resultados do último ano já não foram tão bons. Já perdemos um ano para Tóquio’2020".

"A Teresa Portela é a última pessoa que deve falar. Diz que os resultados do último ano não foram tão bons. Eu respondo-lhe com factos: durante os anos em que esteve na equipa nacional e desde que cheguei, de 2005 a 2012, ganhou 21 medalhas em Europeus, Mundiais e Taças do Mundo em sub-23 e absoluto, e ainda foi 6.ª e 8.ª nos Jogos de Londres’2012. Depois, decidiu que queria mudar, evoluir, esteve fora da equipa nacional e conquistou então 5 medalhas e foi 11.ª nos Jogos do Rio’2016", referiu.

O ainda responsável pela Seleção Nacional feminina de velocidade vai mais longe, ao apontar o dedo à canoísta do Benfica quanto a ter prejudicado o K4. "Destruiu a equipa, ao sair após Londres’2012, numa altura em que a Beatriz Gomes e a Helena Rodrigues pararam de se treinar por quererem, com legitimidade, ser mães", lembrou.

Hoppe acrescentou ainda que Teresa Portela não soube tirar proveito de ter trabalhado com alguns dos melhores treinadores do Mundo, nomeadamente com o espanhol Miguel Garcia, que a acompanhou nos últimos anos. "Quis mudar para evoluir, mas alguma coisa se passou. Será que a culpa é do Miguel, do Ryszard, ou será dela?"

Projeto olímpico

Ryszard Hoppe contrapõe com outros números o facto de a olímpica ter dito que o último ano ficaram aquém do esperado em termos de resultados: "Temos neste momento cinco atletas no Projeto Olímpico, como pode ela então falar de um ano perdido? Desde 2005 até agora, a equipa feminina conquistou 50 medalhas."

O técnico polaco deixa ainda a seguinte pergunta: "Quem é a Teresa Portela para fazer este tipo de considerações, que está na hora de um treinador ir embora, que é fraquinho, que se perdeu um ano?" Para terminar, Ryszard Hoppe pede "mais respeito pelo trabalho dos outros" .

FPC oficializa saída do técnico

Através de um comunicado, a Federação portuguesa (FPC) oficializou a saída de Hoppe em dezembro, quando termina contrato, ao mesmo tempo que elogia e agradece o trabalho feito. "Ficará para sempre ligado aos maiores êxitos da modalidade e do desporto em Portugal, com a conquista de mais de 130 medalhas internacionais, com destaque para a prata do K2 1000 nos Jogos Olímpicos de Londres 2012."

Por Ana Paula Marques
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Canoagem

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.